Mostrando postagens com marcador resenha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador resenha. Mostrar todas as postagens

Resenha | Caída por você, de Amy Lea

sexta-feira, 14 de junho de 2024

 Já imaginou você ter 17 anos e após uma queda acordar com 30 anos e ainda casada com a pessoa que você mais odiava na época da escola?

Amy Lea



Charlotte é a nossa personagem principal e ela sempre foi muito organizada com suas coisas e com a sua vida. Ela sempre fez lista para tudo e planejar a festa de formatura era algo que ela estava esperando há tempos.

O único problema dessa organização é que ela precisa lidar com seu arqui-inimigo, Renner. Ela não o suporta, mas o que ela poderia fazer nesse momento? A formatura está chegando e tudo precisa sair conforme o planejado.

Só que a vida muda no instante em que Charlotte escorrega da escada e acorda em uma cama desconhecida, com 30 anos, ao lado do seu noivo. Ou melhor, ao lado de Renner, a pessoa que ela jamais imaginou que veria novamente após o colégio.

Como isso é possível? Como pode ter passado 13 anos e ela não se lembrar de nada de sua vida, apenas que estava no salão, decorando tudo? E é quando ela terá que deixar todas as suas desavenças com Renner de lado para, juntos, conseguirem entender o que está acontecendo em suas vidas.

Amy Lea

Pela proposta do livro, já deu para sentir uma vibe de “17 outra vez” e “de repente 30”, né? E foi exatamente com essa sensação que fiz a leitura de “caída por você” e fiquei completamente apaixonada por essa obra!

Nos primeiros capítulos, vamos entendendo sobre os personagens, em como eles estão ansiosos, aguardando pela formatura e organizando tudo. Charlotte é, sem dúvidas, a pessoa mais organizada que já vi em obras! E mesmo relutante em trabalhar com o Renner, ela sabe que não tem escolha.

Além de ter que lidar com isso, Char ainda precisa arrumar um par para o baile. O que adiantaria organizar tudo, ver todos felizes, se ela não pudesse aproveitar também, certo?

E é isso que vamos acompanhando nos primeiros capítulos e eu estava gostando, mas o auge da obra foi quando ela caiu da escada e acordou 13 anos depois, com 30 anos, e vivenciando uma vida completamente diferente da qual ela sempre imaginou.

Desse momento em diante a leitura ficou ainda mais envolvente e cativante, fazendo com que eu não sentisse vontade de largar a obra.

Amy Lea trouxe uma história muito fofa e apaixonante, mostrando que quando somos adolescentes, traçamos várias coisas para o nosso futuro. Imaginamos inúmeros acontecimentos e situações, mas a vida acontece de uma maneira diferente, fazendo com que tudo mude ao longo de nossas vidas.

No começo, Charlotte e Renner ficaram confusos por tudo que estava acontecendo (afinal, quem não ficaria?), mas aos poucos foram compreendendo algumas coisas sobre as pessoas em suas voltas, em como algumas coisas seguiram nos últimos anos e como eles foram aprendendo mais sobre eles mesmos.

Gostei muito de como a autora retratou tudo, fazendo com que os personagens enxergassem muito além, sabe? Fazendo com que eles aprendessem a valorizar algumas coisas e até mesmo pudessem aprender com os próprios erros. Claro que os sentimentos que surgiram ao longo disso foi o plus para essa obra.

Então, para quem ama uma boa comédia romântica, com momentos bem divertidos e apaixonantes, tenho certeza que vai se encantar por “caída por você”. Um livro que conquistará do começo ao fim!


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Amy Lea
Título original: Woke up like this
Escritora: Amy Lea
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2024
Gênero: romance contemporâneo / chick-lit 
Classificação: +14

SINOPSE
Organizar a festa de formatura perfeita é o último item na lista de desejos de Charlotte Wu, uma ultradisciplinada aluna do último ano do ensino médio.

Tudo está correndo de acordo com o planejado até que, durante a decoração do salão, um escorregão faz Charlotte despencar de uma escada e aterrissar em cheio em cima de seu arqui-inimigo, o detestavelmente sarado J. T. Renner.

Quando ela acorda, se vê em uma cama desconhecida, com 30 anos de idade, ao lado do noivo. E o pior de tudo: ele é o Renner. Ou os dois enlouqueceram de vez ou foram arremessados na vida adulta e ficarão presos para sempre em seu corpo de 30 anos.

Agora que eles são a única constante na vida um do outro, Charlotte e Renner se unem para descobrir juntos tudo que mudou durante o tempo que perderam.

De quebra, Charlotte ainda descobre que Renner tem muito mais a mostrar do que seu charme irritantemente atlético – e que mais importante do que ultrapassar os marcos da vida é saber aproveitar o que está entre eles.

Leia mais

Resenha | Eu gosto mesmo é da contradição da noite, de Fernanda de Castro Lima

quinta-feira, 13 de junho de 2024

 Já parou e pensou o quanto um pequeno instante pode mudar completamente a sua vida?

Fernanda de Castro Lima

Leia mais

Resenha | Casamenteira em apuros (Matchmaking for Beginners #2), de Maddie Dawson

terça-feira, 11 de junho de 2024

Às vezes, vale a pena esperar por certas histórias de amor. Afinal, o que seria do amor sem um pouco de caos?

Maddie Dawson

Leia mais

Resenha | Landon & Shay (#2), de Brittainy Cherry

quinta-feira, 6 de junho de 2024

Landon e Shay se odiavam, mas foi através de uma aposta que fizeram com que eles se apaixonassem. Porém, será que dez anos deles, em um reencontro, os sentimentos ainda são os mesmos?

Brittainy Cherry



RESENHA DO SEGUNDO LIVRO — PODE contar com UM LEVE SPOILER!


Para quem ainda não leu a primeira obra, também chamada de “Landon & Shay, nós conhecemos a história desses dos personagens que não se gostavam, mas decidiram que fariam uma aposta: quem conseguiria conquistar o coração do outro primeiro? E foi através desse acontecimento que tudo começou a acontecer na vida deles.

Depois dos acontecimentos narrados na primeira obra e com o final que me deixou completamente instigada em saber como tudo iria desenrolar na vida desses dois, comecei a leitura desse segundo livro da duologia cheia de expectativa e fui me envolvendo totalmente com tudo que estava sendo apresentado.

Aqui a gente acompanha uma jornada de anos dos personagens. A gente conhece Landon e Shay na época em que tudo aconteceu, quando eles se distanciaram por um motivo extremamente importante e como isso seguiu ao longo de suas adolescências. Mas também acompanhamos outras fases de suas vidas, como a fama, o coração partido e a fase do reencontro, 10 anos depois.

Em muitos momentos, fiquei apreensiva em saber como tudo iria desenrolar, afinal, eram tantos acontecimentos, tantas coisas que mudavam o caminho desses dois que não conseguia imaginar em que momento tudo acabaria bem e como seria esse reencontro.

O reencontro não é como esperado. As incertezas que assombravam no passado voltam com tudo. O sentimento volta a queimar fortemente. O medo de dar uma nova chance. A frustração de não ter as respostas que sempre procurou. Um misto de emoções causados nos personagens e em nós, leitores, também!

Brittainy Cherry

Brittainy Cherry, mais uma vez, soube trabalhar com excelência e apresentou um contexto que me deixou com o coração apertadinho em diversos momentos, mas também me proporcionou alguns sorrisos em algumas páginas e ainda trouxe aquela pitada de cenas mais quentes em suas páginas.

E apesar de ter gostado muito de como muitas coisas estavam acontecendo na trama, ainda assim, senti que a autora explorou muitos contextos de maneira cansativa, deixando alguns pontos mais relevantes de lado, sabe? Mas exceto isso, a jornada de Landon e Shay foi trabalhada ao longo dos anos, fazendo com que o leitor entendesse perfeitamente o rumo de tudo.

Então, apesar desse detalhe, acabei gostando muito de como a história desses personagens seguiu. Gostei de acompanhar essa jornada de descobertas, recomeços e amadurecimento.

Landon & Shay” é uma história onde mostra a importância do amor. Independente de quanto tempo passe, quando a gente ama verdadeiramente alguém, ele pode prevalecer acima de qualquer obstáculo ou acontecimento. Que, muitas vezes, precisamos dar uma segunda chance para o amor, mas principalmente a nós mesmos.

Ah! Na primeira obra, acompanhamos alguns momentos com Eleanor & Grey que aparecem em segundo plano e nessa continuação também, porém, aqui, há muitos acontecimentos que podem acabar sendo spoiler para quem não conhece a história desses dois personagens. 

Além disso, fica um alerta de que essa obra pode conter gatilhos por retratar assuntos como ansiedade, depressão e tentativa de suicídio.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Brittainy Cherry
Título original: Landon & Shay - part two
Escritora: Brittainy Cherry
Editora: Record
Páginas: 350
Ano: 2024
Gênero: romance
Classificação: +18

SINOPSE
Landon Harrison, agora Landon Pace, se tornou um grande astro de Hollywood, porém os anos longe de Shay fizeram com que sua mente vagasse para lugares cada vez mais sombrios. Ele ficou tão acostumado a usar uma máscara para esconder suas angústias e sua verdadeira personalidade que deixou de ser sincero até mesmo com Shay, a pessoa que, durante uma fase difícil da sua vida, foi seu refúgio.

Shay Gable estudou escrita criativa e acompanhou pela mídia a ascensão meteórica de Landon. Ela acreditava que a distância havia sido o único empecilho ao namoro dos dois. Durante o tempo em que passaram juntos, ela se doou por inteiro, porém o relacionamento deles passou a lhe trazer mais mágoa do que felicidade.

Mais de dez anos depois do término, finalmente Landon e Shay se reencontram. No entanto, parece que aquele amor adolescente, que nasceu do ódio e com o tempo passou a fazer o coração deles acelerar, agora retornou às suas origens, pelo menos para Shay. O que ela não sabe é que, na verdade, Landon nunca parou de pensar na única mulher que amou na vida ― para quem escreve cartas diariamente, mesmo que não as envie.

Será que ele conseguirá reconquistar Shay e lhe mostrar que os dois nasceram um para o outro? Ou as feridas do coração dela jamais vão cicatrizar?

Leia mais

Resenha | Antes de virarmos estranhos, de Renée Carlino

terça-feira, 4 de junho de 2024

 Já imaginou reencontrar 15 anos depois a pessoa que você tanto amou no passado?

Renée Carlino



Nessa história vamos conhecer Matt e como sua vida está após o divórcio. Ele é um renomado fotógrafo, ganhador de um Pulitzer, mas depois de tudo que acontece em sua vida, sente que nada mais faz sentido.

Só que memórias e sentimentos do passado voltam à tona em sua vida quando ele está esperando o metrô e seu olhar cruza com uma mulher. O problema é que não é qualquer mulher. É Grace, aquela que ele tanto amou na época do alojamento estudantil e tudo acabou seguindo de uma maneira inesperada em suas vidas.

Sem conseguir tirá-la de sua mente e sem saber como encontrá-la, ele decide criar um anúncio na página Conexões Perdidas e essa é a sua única esperança de conseguir retomar o contato com alguém que mudou completamente a sua jornada.

Renée Carlino

Antes de virarmos estranhos” foi uma leitura que me causou um mix de sentimentos.

No começo da obra, conhecemos bastante sobre o Matt e como está a sua vida. Percebemos perfeitamente em como ele está se sentindo perdido e sem rumo após o divórcio. É como se tudo que vivenciou ao longo de sua vida não fizesse mais sentido.

Quando o caminho dele cruza com o de Grace, é quando a história fica ainda mais envolvente, pois embarcamos para 15 anos atrás e conseguimos entender perfeitamente tudo que aconteceu na jornada desses dois personagens.

Intercalado no ponto de vista de Grace e Matt, Renée Carlino conseguiu transmitir todas as emoções possíveis ao longo dos capítulos. Ela trouxe dois personagens que eram bem diferentes, principalmente em classes sociais, mas em como eles tinham muitas coisas em comum, principalmente a paixão pela arte — ele por fotografia, e ela por música.

Ao longo desses capítulos, vamos nos aventurando por uma amizade que vai ficando cada vez mais intensa até que os sentimentos começam a dar as caras e tudo fica ainda mais envolvente.

Foram nesses capítulos do passado que me apaixonei completamente pela trama, afinal, me envolvi completamente com a paixão juvenil desses dois, em como eles conseguiam enfrentar algumas situações delicadas e estavam prontos para superar tudo e qualquer coisa.

Só que, é claro, chegou um momento em suas vidas que precisaram tomar um rumo diferente e é quando entendemos o porquê de eles não estarem mais juntos. O que levou essa paixão arrebatadora para um fim.

Após a autora ter apresentado tudo isso, voltamos para o presente e a busca de Matt em encontrar Grace novamente. Só que não consegui me conectar completamente com os personagens mais velhos. Senti que, nesse ponto, tudo foi acontecendo de uma maneira rápida e sem tanta profundidade.

Exceto isso, “antes de virarmos estranhos” foi uma ótima leitura. Os capítulos do passado compensaram completamente toda a trama, trazendo diversas emoções. Infelizmente, faltou explorar e dar mais emoção para tudo que estava acontecendo na atualidade para que a obra se tornasse uma das minhas queridinhas.

Mas esse é um livro que mostra que, muitas vezes, uma simples conversa pode resolver muitas questões, assim como temos que estar dispostos a deixar algumas questões no passado para conseguir construir um futuro.

Um livro que, apesar de ter causado um misto de emoções por tudo que Matt e Grace enfrentaram em suas vidas, ainda assim, é uma história de amor, reencontros e segundas chances. Uma história que acabará conquistando seu coração de alguma forma.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Renée Carlino
Título original: Before we were strangers
Escritora: Renée Carlino
Editora: Paralela
Páginas: 264
Ano: 2023
Gênero: romance contemporâneo
Classificação: +16

SINOPSE
Era um sábado quando Matt e Grace se conheceram no alojamento estudantil da NYU. Matt estudava fotografia, e Grace, música. Logo eles se deram bem e, ao longo do último ano na faculdade, se tornaram inseparáveis, primeiro como amigos, depois como namorados. Seu amor era tão intenso, tão profundo, que eles achavam que duraria para sempre.
Após a formatura, entretanto, algo aconteceu. Matt partiu para um estágio da 
National Geographic na América do Sul e, quando voltou, Grace estava em turnê na Europa como violoncelista. Depois disso, eles não se viram ou se falaram mais.
Quinze anos depois, Matt é um renomado fotógrafo, ganhador de um Pulitzer, mas sente que sua vida não tem sentido
Em uma quarta-feira qualquer, ele está esperando o metrô quando seu olhar cruza com o de uma mulher dentro do trem e ele a reconhece imediatamente: Grace. Mas é tarde demais, o trem já está se movendo — eles se perdem mais uma vez.
É então que Matt decide publicar um anúncio numa página de Conexões Perdidas, na esperança de que Grace o leia e entre em contato com ele.

Leia mais

Resenha | Apenas amigos?, de Abby Jimenez

terça-feira, 28 de maio de 2024

 O que fazer quando você precisa retirar o útero, mas se apaixona por alguém que não esperava e ele quer ter vários filhos?

Abby Jimenez



Nessa história, vamos conhecer Kristen, uma mulher prática, que não faz drama por nada e fala tudo que pensa. Ela namora um cara do exército há dois anos, mas como ele vive em missão, estão raramente juntos. Então, ela precisa lidar com todas as questões de sua vida sozinha, principalmente com a menstruação que aparece incansavelmente mais de 20 dias por mês.

Kristen tem um problema em seu útero e vive enfrentando essas dores há anos. Sempre imaginou que teria um filho e construiria sua família feliz, mas com o passar do tempo, percebeu que seria melhor se ela fizesse um procedimento médico e nunca engravidasse. Até aí estava tudo perfeito, afinal, seu namorado não quer ter filhos.

Então, enquanto ajuda sua melhor amiga a organizar o casamento dos sonhos, ela se mantém longe desses pensamentos. Só que a vida é uma caixinha de surpresas e tudo muda quando Josh surge em sua vida. Ele é bombeiro, melhor amigo do noivo de sua melhor amiga, não se ofende com seu sarcasmo, adora o Dublê Mike, seu cachorro, e ainda tem covinhas encantadoras.

E é a partir desse momento que as coisas vão começar a acontecer e até mesmo desmoronar na vida de Kristen, afinal, ela tem namorado; ela o ama. Mas Josh está mexendo com seu coração e ela sabe que não pode ficar com ele. Ela sabe que ele quer uma família grande e ela jamais poderá proporcionar isso. Como vão lidar com essas e outras inúmeras questões?

Abby Jimenez

Apenas amigos?” foi o terceiro livro que li da Abby Jimenez e posso dizer uma coisa? Essa mulher sabe como escrever um romance arrebatador, que arranca várias risadas, deixa diversos sorrisos bobos, o coração apertadinho em alguns momentos, algumas lágrimas ainda podem surgir, mas também consegue deixar o coração quentinho.

Outro ponto que me encanta demais em sua escrita é que, além de tudo isso, Abby também traz assuntos importantes e impactantes ao longo de sua narrativa. Nessa história, por exemplo, ela soube como retratar muito bem a questão de infertilidade, as consequências que a decisão da personagem poderia afetar sua vida, em como devemos aproveitar imensamente o hoje porque não sabemos o que pode acontecer amanhã.

Intercalado no ponto de vista de Kristen e Josh, fiquei completamente imersa na leitura e sentindo todas as emoções possíveis em cada capítulo. A gente consegue entender a personalidade forte e determinada de Kristen, que pode até soar como chata às vezes, mas ela sabe bem o que ela quer.

Josh é um personagem que tem um coração gigante, que também consegue fazer o possível e o impossível pelas pessoas que ele ama, principalmente por Kristen. Ele é aquele personagem que a gente se apaixona, suspira e fica cheia de expectativa, torcendo para ter um final do jeito que sempre imaginou.

Mas, muitas vezes, a vida acontece de uma maneira inesperada e além do que esperamos, não é? E “apenas amigos?” mostra exatamente isso. Que, não importa quanto tempo planejemos algo ou qualquer outra coisa, a vida acontece. As coisas podem mudar em um piscar de olhos e fazer com que você tome um rumo totalmente diferente.

E é com essa reflexão e outras questões que essa obra me fisgou do começou ao fim. Nas primeiras 100 páginas eu estava me divertindo horrores. Gargalhei em muitos momentos porque a química entre Kristen e Josh é indescritível! Depois disso, a leitura seguiu super envolvente e nos capítulos finais, teve um misto de emoções que, sério, vale a pena demais dar uma chance.

Além disso, a Abby dá voz para os personagens secundários. Eles são tão cativantes quanto os principais. O jeito como tudo se conecta, fazendo com que a trama desenrole super bem, faz com que o leitor fique ainda mais envolvido e apaixonado por tudo que está sendo apresentado.

Para quem gosta de obras que proporcione uma montanha-russa de emoções, tenho certeza que esse livro vai atender todas as expectativas. É uma obra que vai te fazer rir, se emocionar, suspirar e até mesmo surgir algumas lágrimas, mas que no final, vai te deixar extremamente satisfeito em ter lido um romance tão incrível.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.


Você pode gostar também:


Abby Jimenez
Título original: The friend zone
Escritora: Abby Jimenez
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Ano: 2024
Gênero: romance contemporâneo / romances de hoje
Classificação: +16

SINOPSE

Kristen é uma mulher prática. Não faz drama nem joguinhos e não tem paciência para caras que não entendem seu humor afiado. É muito sincera, mas guarda um grande segredo: aos 24 anos, terá que passar por um procedimento médico que a impedirá de engravidar para sempre.

Por isso, planejar o casamento da melhor amiga é uma experiência agridoce – especialmente quando ela conhece o padrinho, Josh, um bombeiro sexy do tipo que estamparia calendários. Josh é fofo, engraçado, não se ofende com o sarcasmo dela… e ainda tem malditas covinhas. Até Dublê Mike, o cachorrinho invocado de Kristen, o adora.

O único problema é que Josh cresceu numa família enorme, com seis irmãs, e também quer ter muitos filhos um dia. Kristen sabe que Josh estaria melhor com outra pessoa. Ela não quer se envolver romanticamente, então propõe uma amizade colorida. Mas até quando seu coração manterá esse acordo?

Leia mais

Resenha | Um dia em outra vida, de Charlotte Rixon

sexta-feira, 24 de maio de 2024

 E se, após vinte anos separados de uma pessoa que você amou na adolescência, você o reencontrasse? Será que todos os sentimentos do passado podem vir à tona?

Charlotte Rixon

Leia mais

Resenha | Os nossos refúgios, de Emma Lord

quinta-feira, 23 de maio de 2024

 Você já se sentiu perdida de você mesma? Riley está se sentindo da mesma forma e agora, no dia de sua formatura do Ensino Médio, ela vê a oportunidade perfeita para se reencontrar.

Emma Lord
Leia mais

Resenha | Perto o bastante para tocar, de Colleen Oakley

quarta-feira, 22 de maio de 2024

 Já imaginou ter uma doença rara onde você não pode ser tocada por ninguém? Esse é um dos dilemas enfrentados pela nossa personagem principal.

Colleen Oakley



Nessa história, conheceremos Jubilee, uma personagem que passou a sua infância e adolescência sofrendo por conta da sua doença. Após um acontecimento na escola que quase a levou à morte, ela tornou-se reclusa. Trancou-se em casa, se afastando de tudo e todos.

Como se já não bastasse enfrentar tudo isso, a mãe de Jubilee decidiu fugir com um cara por quem ela estava completamente apaixonada, deixando-a sozinha no seu próprio mundo, com seus próprios dilemas.

Depois de nove anos vivendo dessa forma, ela recebe a notícia de que sua mãe faleceu. Agora, sem apoio financeiro da mãe, Jubilee é forçada a sair de casa e encarar o mundo do qual fugiu nos últimos tempos. E é quando a trama começará a desenrolar e a vida dela também.

Colleen Oakley

Perto o bastante para tocar” foi meu terceiro contato com a escrita da Colleen Oakley e eu fiquei completamente imersa na leitura, tentando entender mais sobre a Jubilee e como essa doença se desenvolvia em seu corpo quando ela era tocada por outro ser humano.

Na primeira parte do livro, acompanhamos todo o drama que a personagem enfrentou e ainda enfrenta nos últimos anos. Ficar excluída do mundo foi uma opção, afinal, como ela poderia viver normalmente sua vida, sendo que jamais experimentaria o toque de outra pessoa?

E quando ela precisa sair de casa, voltar para a realidade, é quando percebemos que todo esse tempo reclusa, ela acabou desenvolvendo a agorafobia. A ansiedade a domina por estar em lugares, principalmente com várias pessoas, e isso acaba por a paralisar de certa forma.

Só que no meio de todos esses dilemas, ela acaba conhecendo Eric, um personagem que também está passando por situações delicadas em sua vida e tudo que ele quer é entender seu filho adotivo, lidar com o trabalho pelos próximos meses e voltar para a sua vida antiga.

Então, intercalado no ponto de vista de ambos os personagens, conseguimos entender perfeitamente o passado e o presente da Jubilee, em como foi a sua jornada nos últimos anos e em como Eric lida com a separação, com a perda de seus amigos e agora, com uma criança em sua responsabilidade.

Apesar de ter gostado bastante da trama e de como as coisas foram desenrolando na vida de ambos, ainda assim, senti serem personagens imaturos.

É completamente compreensível algumas atitudes de Jubilee, afinal, ela passou isolada do mundo, porém, é perceptível acompanhar a sua evolução ao longo das páginas, principalmente em como ela enfrentou sua fobia. Já Eric, ele acabava sendo impulso em diversos momentos, principalmente por conta de suas palavras. Então, isso fez com que eu não gostasse de alguns pontos ao longo da leitura.

Mas devo dizer que Aja, o filho adotivo de Eric, me conquistou bastante. É uma criança muito fã dos X-Men e acredita que tem superpoderes. Ao longo da narrativa, a autora foi apresentando muito bem essas questões e ficou claro os motivos e as dores que esse personagem também estava enfrentando. E a conexão dele com Jubilee foi o ponto que me conquistou bastante nessa narrativa.

Então, “perto o bastante para tocar” é uma leitura que explora várias camadas dos personagens, mostrando suas vulnerabilidades e dilemas enfrentados ao longo de suas vidas. É uma história que tem o romance em segundo plano, que foi desenvolvido da maneira certa, completando perfeitamente essa história.


⚠ Pode conter gatilhos: traumas da infância, agorafobia, luto, depressão, ansiedade.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Colleen Oakley
Título original: Close enough to touch
Escritora: Colleen Oakley
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 350
Ano: 2017
Gênero: romance
Classificação: +15

SINOPSE
Jubilee Jenkins é uma jovem com uma condição médica rara: ela é alérgica ao toque de outros humanos.
Depois de uma humilhante experiência de quase morte na escola, Jubilee tornou-se reclusa, vivendo os últimos nove anos nos confins da pequena Nova Jersey, na casa que sua mãe deixou quando fugiu com um empresário de Long Island.
Mas, agora, sua mãe está morta e, sem seu apoio financeiro, Jubilee é forçada a sair de casa e encarar o mundo do qual tem se escondido — e as pessoas que o habitam. Uma dessas pessoas é Eric Keegan, um homem que acabou de se mudar para a cidade e está lutando para descobrir como sua vida saiu dos trilhos. Até que um dia, ele conhece a misteriosa chamada Jubilee e se encanta por ela, sem saber de sua condição.

Leia mais

Resenha | A revolução da rosa, de Emma Theriault

terça-feira, 21 de maio de 2024

 França, 1789. Após Bela ter quebrado a maldição da Fera e ele ter retornado à sua forma humana, agora ela precisa lidar com as chamas da mudança que estão se alastrando em um prenúncio à Revolução Francesa.

Emma Theriault



Nessa releitura de um clássico da Disney, acompanhamos Bela em uma jornada um pouco diferente. Após ter quebrado a maldição que assombrou a Fera e todos do castelo por anos, Bela agora precisa lidar com uma nova questão que determinará muitas coisas em sua vida e, principalmente, de todos os moradores de Aveyon.

Quando ela se depara com um espelho mágico que contém um aviso terrível, tudo que Bela deseja é simplesmente ignorar aquela voz misteriosa, porém, como fazer isso quando facções revolucionárias já podem estar à espreita no próprio palácio?

Então, para não colocar em perigo tudo o que ela mais ama, Bela deve decidir se está pronta para abraçar a própria força e a magia que liga a tantas governantes que vieram antes dela e se tornar a rainha destinada a ser.

Emma Theriault

"A Bela e a Fera" é um dos meus clássicos favoritos de todos os tempos e quando soube desse lançamento, fiquei completamente intrigada em dar uma chance, afinal, a gente sempre quer saber o que acontece além do "felizes para sempre", né?

Comecei a leitura bem envolvida com a jornada da Bela em descobrir mais sobre si mesma. Em certo momento percebemos que ela libertou a Fera, mas o que mais? O que mais ela pode fazer? Ela percebe que muitas mudanças precisam acontecer em Aveyon, ao reino. Mas como fazer tudo isso?

É quando a Fera se torna o rei de Aveyon e ela percebe que existe uma grande responsabilidade e não somente para ele. Desse momento em diante, com a descoberta do espelho mágico que a deixou intrigada e todos os acontecimentos em sua volta, é quando Bela precisa tomar algumas decisões importantes.

E gostei de acompanhar essa trajetória ao longo dos capítulos. Com toda a sua delicadeza e elegância, Bela soube como mostrar a sua voz. Ela soube como conduzir um reino inteiro com toda a sua sabedoria e fazer o possível pelo seu povo. Soube como mostrar à rainha que ela estava determinada a ser.

Então, nessa releitura, conhecemos além daquela história fofa e apaixonante, afinal, aqui temos uma Revolução Francesa prestes a acontecer, onde envolve muita questão política, social e alguns outros pontos. Isso foi o que mais me deixou envolvida com a história.

Apesar de ter gostado da trama e o seu desenvolvimento, a escrita da Emma Theriault não me fisgou completamente, pois, em alguns momentos, senti que existia uma personagem bem juvenil. Claro que Bela estava despreparada para tudo que iria enfrentar em sua jornada, porém, a linguagem usada me deixou um pouco desconectada com o resto, principalmente por outras questões importantes apresentadas ao longo dos capítulos.

Mas, exceto isso, "a revolução da rosa" foi uma leitura que me intrigou em diversos momentos. Uma história onde percebemos a evolução da personagem, em como ela soube escolher o melhor caminho para cuidar das pessoas que ela amava e de todo o reino e em como, muitas vezes, precisamos estar atentos às pequenas coisas em nossa volta. Basta apenas uma simples fagulha para mudar tudo.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Emma Theriault
Título original: Rebel Rose
Escritora: Emma Theriault
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 336
Ano: 2024
Gênero: jovem adulto
Classificação: +14

SINOPSE
França, 1789. Bela quebrou a maldição da feiticeira, devolvendo à Fera sua forma humana e enchendo o castelo de vida outra vez. Em Paris, porém, as chamas da mudança se alastram em um prenúncio à Revolução Francesa, e é apenas uma questão de tempo até que a rebelião chegue ao principado de Aveyon.

Quando Bela se depara com um espelho mágico imbuído de um aviso terrível, tudo o que deseja é ignorar a voz misteriosa que a impele a aceitar uma coroa que nunca quis. Mas facções de revolucionários violentos já podem estar à espreita dentro do próprio palácio, e ficar de braços cruzados pode pôr em perigo tudo o que ela mais ama. Com o destino de seu país, seu amor e sua vida em jogo, Bela deve decidir se está pronta para abraçar a própria força – e a magia que a liga a tantas governantes que vieram antes dela – para se tornar a rainha que está destinada a ser.

Leia mais

Resenha | Nem te conto, de Emily Henry

terça-feira, 14 de maio de 2024

Já imaginou ser trocada pela melhor amiga do seu noivo durante a despedida de solteiro? Exatamente com essa situação que a Daphne terá que recuperar-se e recomeçar a sua vida.

Emily Henry

Leia mais

Resenha | Aprendiz de casamenteira (Matchmaking for Beginners #1), de Maddie Dawson

segunda-feira, 6 de maio de 2024

 Ser abandonada por alguém que você ama já é algo bem difícil, mas imagina isso acontecer alguns dias após o casamento, na lua de mel?

Maddie Dawson



Marnie queria ter uma vida comum: um marido, um filho e, quem sabe, uma minivan no subúrbio. E ela estava prestes a começar a sua vida com alguém que ela amava tanto.

No entanto, as coisas começam a ficar um pouco diferentes quando Marnie conhece Blix, a tia-avó de seu noivo, que tem um sexto sentido bem aguçado e ela revela algumas coisas para Marnie, de como ela tem uma vida grandiosa e há muitas mudanças pela frente.

E é quando, no dia de seu casamento, Noah aparece e está prestes a desistir de tudo. Porém, mesmo relutante e com muita insistência de Marnie, eles acabam se casando, mas é na lua de mel que o pedido de divórcio vem e as coisas começam a acontecer na vida da nossa personagem, assim como uma herança completamente inesperada.

Maddie Dawson

Sabe aquele livro que a gente já começa a ler esperando pelo momento trágico da personagem, onde inúmeras coisas irão acontecer e a trama começará a desenrolar desse ponto em diante? Exatamente dessa forma que estava me sentindo com “aprendiz de casamenteira”.

Intercalado no ponto de vista de Marnie e Blix, a gente conhece muito sobre as duas personagens.

Marnie tem 29 anos, está prestes a se casar e começar a família que sempre desejou. Mas quando tudo muda em sua vida, é largada por alguém que ela tanto amava, reencontra alguém do passado, sua irmã acaba de ganhar um bebê e ela herda uma herança bem inesperada, tudo começa a mudar em sua jornada.

Nos capítulos de Blix, percebemos uma senhora bem intrometida na vida dos outros, onde ela consegue perceber quem é a alma gêmea de outra pessoa e “mexe os pauzinhos” para que essas pessoas acabem juntas. E quando ela conheceu Marnie, percebeu que seu destino não era com seu sobrinho e, sim, com outra pessoa.

Só que Blix está doente e ela não sabe quantos dias ainda lhe restam, então, é quando, em seu testamento, ela deixa o apartamento para Marnie porque sabe que a jovem fará o que for certo e recomeçará a sua vida do jeito que deveria ser.

Então, conseguimos acompanhar ao longo dos capítulos essas trajetórias, em como suas pessoas de gerações diferentes estavam destinadas a terem seus caminhos cruzados e como a vida de Marnie ganhou um novo rumo após tudo.

E eu gostei do desenrolar da trama. Gostei da forma como Maddie Dawson conduziu toda a história, mas tenho algumas ressalvas.

Uma das minhas ressalvas é com relação à idade da personagem. Ao longo dos capítulos, é difícil entender em como Marnie tem 29 anos. Suas atitudes, em certos pontos, acabam sendo bem diferentes de sua idade. Tem algo específico na leitura onde ela tomou uma atitude bem impulsiva, mas de grande responsabilidade e que, para mim, não funcionou.

Outra ressalva é com relação à Blix. Adorei essa senhorinha. Ela realmente cativou bastante em diversos momentos, porém, a decisão dela com relação à sua doença e como ela decidiu lidar com tudo, não sei se foi algo que gostei, sabe? Isso me deixou um pouco incomodada ao longo da trama.

Exceto isso, “aprendiz de casamenteira” foi uma leitura que fluiu muito bem. Existem momentos de reflexões ao longo da história e os diálogos são bem simples e fáceis de compreender. E confesso que me despertou interesse para ler o segundo livro dessa duologia: casamenteira em apuros.

Uma leitura que mostra que, por mais que desejamos que nossa vida seja de uma certa maneira, o destino trabalha da sua própria forma e nos mostra outras possibilidades, novas escolhas, um novo caminho. Que temos que estar dispostos a viver a vida da melhor maneira e encontrar beleza nas pequenas coisas.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Maddie Dawson
Título original: Matchmaking for beginners
Escritora: Maddie Dawson
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 384
Ano: 2023
Gênero: romance contemporâneo
Classificação: +15

SINOPSE
Marnie MacGraw deseja uma vida comum: marido, filhos e uma minivan no subúrbio. Agora que está se casando com o homem dos seus sonhos, ela tem certeza de que essa será a sua vida. No entanto, tudo muda quando Marnie conhece Blix Holliday, a tia-avó geniosa de seu noivo ― e que tem um sexto sentido para encontrar pares perfeitos. Blix está à beira da morte e prevê grandes mudanças na vida de Marnie, que num piscar de olhos vê seu tão almejado casamento e seu futuro perfeitinho irem por água abaixo.

Assim, quando Marnie herda a casa de Blix no Brooklyn, junto a todos os seus “projetos” incompletos, restará a ela dar continuidade ao legado da otimista octogenária. Desde os vizinhos da nova casa, um grupo de desajustados, até um vira-lata chamado Bedford, a missão de Marnie é fazer com que encontrem o amor e um local para chamarem de lar. Marnie não acredita em seu potencial, mas Blix, de algum modo, sempre soube que a jovem era a pessoa perfeita para ficar em seu lugar e completar os planos de formar os pares perfeitos.

Blix também tinha razão sobre algumas coisas que Marnie precisará aprender do jeito mais sofrido: que o amor é difícil de reconhecer, e que aqueles que mais rechaçam o amor geralmente são as pessoas que mais precisam dele.

Leia mais

Resenha | Te vejo ontem, de Rachel Lynn Solomon

terça-feira, 30 de abril de 2024

 E se você tivesse apenas o hoje, o que faria diferente?

Rachel Lynn Solomon



Barrett está empolgada para começar a faculdade. O Ensino Médio não foi muito legal, principalmente as últimas semanas. Muitas coisas aconteceram em sua vida e tudo que ela deseja é que agora, na faculdade, ela possa viver tudo de uma maneira melhor, porém, nem tudo é como ela desejava.

Em seu primeiro dia na universidade, Barrett descobre que Lucie é a sua colega de quarto. O problema é que elas costumavam serem amigas, mas algumas coisas aconteceram e Lucie não a suporta mais. Como vai conseguir fazer com que esses anos de faculdade sejam bons?

Como se isso já não bastasse, o final desse dia se demonstra um completo desastre e é quando, ao acordar na manhã seguinte, é 21 de setembro de novo. Barrett não consegue entender o que aconteceu e como isso é possível, mas ela está revivendo o mesmo dia e isso começa a acontecer por várias semanas seguintes.

Só que para ajudá-la nessa descoberta, Miles, o carinha da turma de física que a irritou logo nos primeiros minutos de aula, também está preso nesse dia há meses e é quando, juntos, vão tentar desvendar esse enigma e voltarem para suas antigas vidas.

Rachel Lynn Solomon

Te vejo ontem” foi uma leitura que alugou um triplex em minha cabeça, principalmente por conta das questões de viagens no tempo, vida alternativa e infinitas possibilidades.

Assim que comecei a leitura, achei que não iria conseguir me apegar tanto a trama e a personagem porque Barrett parecia um pouco chata. Quando ela fica presa no mesmo dia, é compreensível as suas atitudes e a forma que ela tenta lidar com isso.

Então, até aí, a leitura estava boa, mas era só isso. Só que a história foi ficando melhor quando Miles surge e começa a compartilhar suas teorias sobre o motivo de estarem presos nesse dia. Foi quando fiquei completamente presa e envolvida na trama.

Claro que inicialmente fiquei um pouco confusa com todas essas questões abordadas ao longo dos capítulos, mas, aos poucos, fui entendendo todas as teorias, em como os acontecimentos poderiam estar interligados e extremamente curiosa de como iriam resolver isso (se iriam) e se mudaria algo na linha do tempo.

Além desses pontos mais complexos ao longo da leitura, Rachel Lynn Solomon também trouxe diversas outras questões ao longo da narrativa, sobre em como o bullying pode afetar a vida de alguém e a dor pode ser algo constante a partir desse ato, ocasionando vários “bloqueios” ao longo da jornada da pessoa; trouxe representatividade, mesmo que de uma maneira sútil, e algumas reações como ataques de pânico e ansiedade.

A autora também trouxe muitas reflexões ao longo das páginas. O que faria a gente ficar presa em um único dia? O que daria para fazer diferente? O que precisaria ser diferente? Será que o problema está nesse dia ou em algo relacionado a ele? 

É impossível dizer, mas o que aprendemos com essa obra é que precisamos viver intensamente o hoje. Não sabemos se o amanhã irá chegar. É importante ser bondoso, gentil e cuidadoso com as palavras para não machucar pessoas que amamos, mas também podemos consertar nossos erros enquanto podemos.

E é claro que além de tudo já citado, também teve romance ao longo da trama. Rachel soube como mostrar, mesmo que de uma maneira singela, os receios e traumas da Barrett, o que tanto incomodava Miles em sua outra linha do tempo, em como eles eram diferentes em algumas coisas, mas também tinham muito em comum e como esse acaso acabou traçando essa possibilidade para eles.

Esse foi meu primeiro contato com a escrita da autora e eu adorei como ela soube desenrolar tudo perfeitamente bem ao longo dos capítulos. Fiquei realmente apaixonada pelo desenvolvimento, pelas questões abordadas e pelo desenrolar dos personagens.

Então, “te vejo ontem” é um livro sobre possibilidades, novos começos, novas oportunidades. Um livro jovem adulto, com uma boa dose de humor e elementos essenciais que completaram perfeitamente a trama.


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Rachel Lynn Solomon
Título original: See you yesterday
Escritora: Rachel Lynn Solomon
Editora: Galera
Páginas: 378
Ano: 2023
Gênero: jovem adulto
Classificação: +15

SINOPSE
É o primeiro dia da universidade.

O único desejo de Barrett Bloom é que este seja um novo começo após a experiência complicada que foi o ensino médio. Mas, logo de cara, tudo dá errado.

Ela é humilhada pelo sabe-tudo da turma de física, estraga a entrevista para o jornal da faculdade e, em uma festa naquela noite, acidentalmente incendeia uma fraternidade. Depois de entrar em pânico e fugir, percebe que sua colega de quarto a trancou fora do dormitório, e acaba caindo no sono na área comum dos alunos.

Na manhã seguinte, Barrett ainda não está pronta para encarar um novo dia. Mas, para sua surpresa, acorda em sua própria cama, e nem está mais cheirando a cinzas e sonhos despedaçados. Algo muito estranho está acontecendo: é 21 de setembro. De novo! E depois de um confronto com Miles, o sabe-tudo da turma de física, ela descobre que não está sozinha. Ele está preso no mesmo dia há meses.

Quando suas tentativas de consertar a linha do tempo falham, ela concorda em se unir a Miles para encontrar uma saída. Juntos, eles exploram o misterioso submundo da universidade e pesquisam alternativas científicas para se livrarem do loop temporal. Aos poucos, Barrett e Miles começam a se apaixonar, e se deparam com a maior questão ainda não respondida do universo: o que acontecerá com os dois se eles finalmente chegarem ao amanhã?

Ela precisa apenas que amanhã seja um novo dia... Mas nunca é.

Leia mais

Resenha | De repente adulta, de Sarah Turner

segunda-feira, 29 de abril de 2024

Já imaginou em como a vida pode mudar em um piscar de olhos? Foi exatamente o que aconteceu com Beth.

Sarah Turner



A nossa personagem principal nunca se prendeu a nada. Todos os empregos eram como temporários em sua vida. Seus relacionamentos também não progrediam tanto e ela ainda dorme no quarto de infância na casa dos seus pais.

Beth sabe que com 31 anos está na hora de encontrar um rumo em sua vida. Sabe que precisa estabelecer um compromisso consigo mesma, porém, falta algo em sua jornada para que se sinta totalmente motivada em dar esse passo.

Porém, algo inesperado acontece. Quando sua irmã e seu cunhado sofrem um acidente de carro e Beth se vê responsável pela sua sobrinha adolescente e seu sobrinho pequeno, é quando a história vai começar a acontecer e ela precisará encarar a vida de uma maneira diferente.

Sarah Turner

De repente adulta” foi uma leitura que me prendeu do começo ao fim.

Uma das coisas que mais me envolveu nessa narrativa foi como a autora trabalhou os acontecimentos. O livro vai muito além da capa, pois são acontecimentos marcantes, dolorosos e mudam a vida de todos. Sarah Turner soube como trazer essas questões e deixar o coração apertadinho em diversos pontos.

Outro ponto que gostei demais dessa história foi como é perceptível a mudança de estilo de vida de Beth e as responsabilidades que ela foi criando ao longo dos capítulos.

No começo temos uma personagem que não sabe muito bem o que ela quer da vida. Mesmo com seus 30 e poucos anos, ela ainda não conseguiu encontrar seu lugar no mundo e eu gostei disso na trama, afinal, quando somos mais jovens, imaginamos que com essa idade estaremos com uma carreira estável, com uma vida perfeita, mas nem sempre é assim.

Muitas vezes não encontramos o que queremos ou o que gostamos tão facilmente. Muitas vezes precisamos nos reencontrar ao longo da nossa jornada; precisamos recomeçar e tomar decisões que mudam completamente tudo. Então ver isso retratado em uma obra, acabou me fisgando bastante.

Além disso, também teve a questão de julgamentos alheios, do que as pessoas pensavam sobre ela e suas atitudes. Isso é algo tão comum em nosso cotidiano, né? Sempre existirá alguém para julgar o jeito que levamos a nossa vida, as escolhas que fazemos e tudo mais. 

Mas, como falei, Beth vai amadurecendo e criando responsabilidades ao longo da trama. Isso, sem dúvidas, foi incrível! Sua vida mudou de uma hora para a outra e de uma maneira inesperada, mas é bem perceptível o quanto ela se dedicou em fazer tudo certo, em mostrar para todos, principalmente para a sua mãe, de que ela conseguia cuidar de seus sobrinhos; que ela era capaz de ser uma pessoa melhor, uma pessoa diferente.

Além dessas questões retratadas, a autora também apresentou uma pitadinha de romance. E por que digo que foi uma pitadinha? Porque ao longo dos capítulos percebemos os sentimentos ocultos da Beth pelo seu melhor amigo, porém, por que eles iriam estragar uma amizade de anos? Então essa história foi desenrolando aos pouquinhos e acabei gostando de como foi conduzida.

Minha única ressalva dessa leitura foi a questão dos capítulos finais e o final da trama.

De repente adulta” é um livro que vai desenrolando gradualmente, pois conseguimos entender por tudo que Beth está passando em sua vida, em como essas mudanças afetaram não só ela, mas toda a sua família, a esperança de que tudo volte a ser como era antes… então a gente acaba se apegando com todos os relatos.

Porém, nos últimos capítulos, senti que tudo foi acontecendo de uma forma rápida, diferente do que começo da obra. E o final do livro é aberto. Isso me deixou na dúvida se existiria a possibilidade de outra obra ou realmente o questionamento de pensarmos em como tudo poderia seguir de um determinado ponto em diante.

Exceto isso, esse é um livro que apresenta uma boa dose de carga emocional (algo que amei), Sarah Turner também explorou questões sobre amadurecimento, responsabilidades, escolhas e como nossa vida pode mudar de um dia para o outro; que não sabemos quando algo acontecerá, mas sempre existirá algo que nos fará enxergar as coisas com uma nova perspectiva.

Um livro que conversou bastante comigo em diversos aspectos e mexeu com minhas emoções, e recomendo demais a leitura!


COMPRE NA AMAZON — clique aqui.

Sarah Turner
Título original: Stepping up
Escritora: Sarah Turner
Editora: Verus
Páginas: 350
Ano: 2023
Gênero: romance contemporâneo / drama
Classificação: +15

SINOPSE
Beth nunca se prendeu a nada. Ela largou mais empregos e relacionamentos do que é capaz de lembrar e ainda dorme em seu quarto de infância na casa dos pais. Não que ela não queira crescer ― é que, até agora, o único compromisso que conseguiu estabelecer foi com os drinques de sexta-feira no pub de sempre.

Mas então, de repente, o mundo de Beth muda. Sua irmã e seu cunhado sofrem um grave acidente de carro, e Beth agora é a guardiã legal da sobrinha adolescente e do sobrinho pequeno, e se vê em um mundo desconhecido de canções de ninar, reuniões escolares e elefantes fofinhos. Como nunca foi responsável por ninguém ― nem por coisa alguma ―, não demora muito para que Beth se sinta totalmente perdida.

E se ela simplesmente não estiver à altura da tarefa?

Com a ajuda do seu melhor amigo, Jory (só amigo mesmo, é claro...), e de Albert, o vizinho adorável e solitário, Beth está determinada a não desistir dessa vez. Chegou a hora de virar adulta.


Leia mais

Resenha | Um caso improvável, de Rebecca Yarros

terça-feira, 23 de abril de 2024

 Quantas vezes o nosso caminho pode ser cruzado com outra pessoa? E como um acidente pode modificar completamente o caminho de duas pessoas? Entre esses e outros questionamentos que vamos conhecer a jornada de Izzy e Nate. 

Rebecca Yarros

Leia mais

Resenha | Frozen: contos congelantes, de Heather Knowles e Mari Mancusi

segunda-feira, 22 de abril de 2024

 Frozen é um dos meus filmes queridinhos e ele completou 10 anos, dá para acreditar? E nessa edição comemorativa de "Frozen: contos congelantes" vamos nos aventurar ainda mais com Elsa, Anna e também outros personagens.

frozen

Leia mais

Resenha | Doce como você, de Kate Canterbary

quarta-feira, 17 de abril de 2024

 O que você faria após ter sido largada no dia do casamento? Shay tinha a opção de continuar sua vida da mesma forma ou se mudar para a fazenda onde sua avó deixou de herança, em Rhode Island.

Kate Canterbary

Leia mais

Resenha | Landon & Shay (#1), de Brittainy Cherry

quarta-feira, 10 de abril de 2024

 Fazer uma aposta com o seu arqui-inimigo seria a melhor opção? Foi assim que a história de Landon & Shay começou.

Brittainy Cherry

Leia mais

Resenha | A sociedade supersecreta de bruxas rebeldes, de Sangu Mandanna

terça-feira, 9 de abril de 2024

Já imaginou ter que esconder sua magia, viver de maneira discreta e distante de outras bruxas para que seus poderes não se misturem e causem um acidente mágico? Exatamente dessa forma que Mika, nossa personagem, precisa viver. 

Sangu Mandanna

Leia mais

Resenha | Operação paixão, de Carlie Walker

quinta-feira, 4 de abril de 2024

 Já pensou trabalhar para a CIA e ter que impedir sua irmã de casar com um criminoso, mesmo sem poder comentar absolutamente nada sobre o assunto?

Carlie Walker

Leia mais