sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Resenha: Eu perdi o rumo, de Gayle Forman

Se você perdesse o rumo da sua vida após uma grande perda? E se você perdesse a voz e dependesse dela para ter um grande futuro? E se você não conseguisse mostrar ao mundo quem você realmente é?

Gayle Forman

Eu perdi o rumo” foi um dos lançamentos mais desejados de setembro através da Editora Arqueiro e nele nós somos apresentados para três personagens que estão perdidos e não sabem qual rumo seguir na vida. Acontecimentos que desmotivaram a seguir em frente.

Freya depende de sua voz para ter uma carreira bem-sucedida. Ela é cantora e após um tempo, por insistência de sua mãe, sua irmã começou a cantar junto com ela e fizeram sucesso. Mas após alguns desentendimentos, Freya seguiu com sua carreira, porém algo aconteceu e está impendido que continue: perto do lançamento do seu novo álbum, ela perdeu a voz.

"Se as pessoas que te amam não podem dizer a verdade, quem é que pode?" (pág. 31)

Gayle Forman
Harun é um garoto que não consegue mostrar ao mundo quem ele realmente é. Está apaixonado por outro garoto faz muito tempo e não consegue assumir esse relacionamento com medo do que as pessoas irão pensar disso, principalmente seus pais que jamais aceitariam “alguém como ele”. Um dilema que Harun enfrenta todos os dias, até decidir fugir de casa em nome do amor.

E temos o personagem Nathaniel que passou por diversos problemas, anos atrás, e até hoje sente-se traumatizado por todos esses acontecimentos. Nos últimos anos viveu apenas com seu pai como se eles fossem “uma sociedade de dois” – referência ao filme Senhor do Anéis –, mas algo mudou e infelizmente Nathaniel teve que mudar para Nova York e recomeçar.

"As pessoas queriam se tranquilizar, se livrar da situação difícil." (pág. 54)

Sabemos que todos os personagens apresentados até aqui estão sem rumo e sem esperança, mas eles ainda não se conhecem, mas algo totalmente inusitado irá acontecer e unirá todos eles em muitas aventuras e encontrarão a ajuda que precisa em cada um.

💭

Gayle Forman

"Os três podem ser perfeitos desconhecidos, com vidas diferentes e problemas diferentes, mas ali, naquele consultório, estão medindo a tristeza da mesma forma. Estão medindo em perdas." (pág. 70)

Destino? Coincidência? Não há uma explicação sensata para isso, porém é de extrema importância e ajuda  quando eles se conhecem a como a vida de cada um fica melhor pelo simples fato de ter encontrado um outro alguém que também se sente perdido, que também acha que perdeu o rumo da vida e nada mais faz sentido.

Mais uma vez fui surpreendida pela escrita da Gayle Forman. Ela narra os acontecimentos de uma forma profunda, que você sente aquela dorzinha no coração por cada personagem e sente vontade de entrar no enredo, consertar os problemas e deixar tudo com um final feliz. Você consegue sentir com total profundidade todas as dores, os medos e os receios.

"As pessoas têm que ser pacientes umas com as outras. Compreender que às vezes a situação sai dos trilhos, que certas coisas não podem ser apressadas. Que uma pessoa pressionada acaba cometendo erros." (pág. 136)

Gayle Forman
O que nos envolve ainda mais no livro são os capítulos intercalados por personagens: em certo momento estamos conhecendo melhor Freya, em outro Harun, e no outro Nathaniel. Isso é de suma importância para que consigamos vivenciar tudo com estes protagonistas. Eu não sei dizer qual deles tornou-se meu favorito – talvez tenha sido a estória de Nathaniel –, mas sofri um pouco com o dilema de cada um. É impossível não sentir o coração apertadinho!

Apesar de ter amado a forma como Gayle narrou tudo, ainda tenho uma observação para fazer: o final. Após se conhecerem, enfrentar diversas “batalhas” e conseguirem encontrar uma solução para tudo, o final ficou vago. Tudo se resolveu, mas e aí? Acredito que faltou uma explicação melhor, uma forma mais profunda para finalizar após tanta profundidade no enredo.

"Todos nós morremos. É a única certeza que temos na vida e é a única coisa que temos em comum com todo o resto do planeta." (pág. 176)

Gayle Forman

Eu perdi o rumo” é um incrível lembrete para todos: muitas vezes podemos perder o rumo, mas isso não será o fim. Muitas vezes podemos sentir que estamos sozinhos, mas não estamos, pois a amizade é de grande importância nessa jornada que chamamos de vida.

"O tempo poderia curar tudo? Ou certas coisas se quebravam de maneira irreparável?" (pág. 202)


Avaliação: 4 ❤
* adicione no Skoob: Eu perdi o rumo

Título original: I have lost my way
Escritora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Ano de publicação: 2018
Páginas: 272
Gênero: Romance / ficção / jovem adulto

SINOPSE
Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.
Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho.
Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu Perdi o Rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.


Outras resenhas da autora:

4 comentários:

  1. Oiii minha experiência com a autora terminou por Se Eu Ficar, infelizmente, na época não curti a leitura, apesar de curtido muito do filme. Vamos ver se eu me animo com este lançamento que me parece bem interessante :)
    Beijos
    Joice Cardoso
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
  2. As fotos do seu post ficaram lindas, parabéns! Eu nunca li nada dessa autora mas essa obra em especial me chama muito a atenção, parece ser a mais "madura" dela, sabe? E isso que acaba me prendendo, por outro lado, morro de medo do final ser decepcionante.

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li nada do Gayle, mas por pura preguiça mesmo, pq sempre que eu leio uma sinopse ou uma resenha de um livro dele eu me interesso muito.

    Tô num momento tão bléh da minha vida, que parece que esse livro é na medida para mim kkk

    Eu amei suas fotos e sua tatuagem <3

    Também adoro livros com a narração intercalada, dá a sensação que estamos cobrindo e conhecendo todos os pontos do livro, me sinto mais saciada na leitura quando é assim haha

    http://thereviewbooks.com.br
    #thereviewbooks | @thereviewbooks

    ResponderExcluir
  4. OOiiii, li apensa um livro da Gayle e curto muito a sua escrita, acho interessante o fato dela unir três pessoas em momentos diferentes, mas com sentimentos iguais. O fato deles dividirem a vida e resolverem o que está acontecendo, mexe comigo... Adorei a resenha e tô aqui com a dica anotada!

    ResponderExcluir