Resenha | As cores da vida, de Kristin Hannah

by - maio 04, 2020

As Cores da Vida, publicado pela Editora Arqueiro, foi meu quinto contato com a autora Kristin Hannah e, diferente dos outros livros, esse vai mostrar uma história sobre irmãs, rivalidade, perdão e o verdadeiro significado do que é ser uma família.


Kristin Hannah
Foto: PS Amo Leitura


Winona, Aurora e Vivi Ann são irmãs e perderam a mãe muito cedo. Criadas pelo pai frio e distante, acabaram criando um vínculo enorme entre elas, fazendo sempre o possível para proteger umas as outras, apesar de suas diferenças.

Winona é a irmã mais velha e o porto seguro para as duas. Nunca se sentiu em casa e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza, mesmo sendo a melhor advogada da cidade e ela busca mostrar o seu verdadeiro valor.

Ela sempre havia imaginado que o amor fosse algo turbulento e volátil, uma emoção que a tirasse do série, a fragmentasse em pedaços e a transformasse em uma pessoa que ela não poderia ter se tornado por outro meio. (pág. 58)

Aurora é a irmã do meio. Ela acalma todas as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos, mesmo que esconda seus próprios problemas.

E por último, conhecemos Vivi Ann que é a irmã mais nova. Completamente sonhadora e com um coração enorme, ela acredita que tudo em sua vida está dando certo, mas, é quando um forasteiro chega à cidade, que tudo começa a mudar.



Com a chegada desse rapaz na cidade, conhecido como Dallas, tudo vai mudar e não apenas na vida de Vivi Ann: a lealdade entre irmãs será colocada à prova e segredos dolorosos serão revelados.

Kristin Hannah
Foto: PS Amo Leitura

Um pouco diferente dos outros que li da autora.

Final de 2019, comecei a ler as obras da Kristin Hannah e confesso que não consigo mais parar. Ela tem uma escrita tão envolvente e cativante, que faz o leitor ficar totalmente preso ao enredo e apaixonado por tudo que ela escreve. Apesar de admirar essa qualidade na autora, confesso que “as cores da vida” foi uma leitura um pouco diferente para mim.

Já falei em outros posts e até mesmo em resenhas que a autora tem o dom de destruir o coração do leitor, mas com essa obra, eu não me emocionei tanto quanto esperava. Achei que o desfecho do livro foi um pouco previsível, mesmo quando o segredo foi revelado.

Algumas coisas não podiam ser esquecidas, mesmo com muito esforço. Humilhação. Perda. Inveja. Eram emoções que ficavam surgindo na superfície. No final, é muito cansativo mantê-las escondidas. (pág. 126)

Mas, ao mesmo tempo que já esperava que tudo aquilo fosse acontecer, eu me conectava com a história, principalmente pela união das irmãs. A forma como isso foi desenvolvido, deixando-as próximas, revolvendo todos os problemas, me conquistou.

Mesmo quando mostrava a rivalidade entre elas, as brigas por conta dos dilemas que estavam enfrentando – principalmente com a chegada do Dallas – eu sentia que elas continuavam ligadas e, independente de tudo, seriam capazes de tudo uma pela outra.


Kristin Hannah
Foto: PS Amo Leitura


E por falar em Dallas...

Eu fiquei em conflito com esse personagem! Em primeiro momento, eu o achei autoconfiante demais, parecendo até mesmo arrogante. Com o decorrer da história, eu comecei a ver um outro lado dele: um lado que havia muito sentimento ali e que estava fazendo o possível para proteger quem ele amava. Isso foi um ponto positivo do personagem, mas que, ainda assim, não consegui me emocionar com a sua história e sua jornada.

Outro ponto que gostaria de relatar é que senti falta de uma “voz mais ativa” para a personagem Aurora. Talvez por ela ser a irmã do meio, sempre apaziguando todas as situações delicadas, a autora não a desenvolveu totalmente. Eu diria que “as cores da vida” é uma obra relacionada aos dilemas de Winoma e Vivi Ann.



No entanto, às vezes, quando se ama alguém, é preciso ser forte, dizer as coisas que precisam ser ditas. (pág. 195)

Kristin Hannah
Foto: PS Amo Leitura

Apesar do livro ter me agradado em alguns pontos e em outros deixado uma sensação de vazio, ainda é Kristin Hannah. Ainda é aquela autora que eu recomendo que todos leiam e conheçam a sua escrita intensa.

Esse livro me mostrou que em muitos momentos a justiça pode ser falha, a população pode ser preconceituosa e a inveja pode atrapalhar e impedir a vida de qualquer pessoa.

Uma coisa que existe no amor é o reconhecimento. Quando se está apaixonado, você sabe. A opinião de mais ninguém importa. Mas, isso foi algo que aprendi de maneira mais difícil: o amor não existe num vácuo só dele. As outras pessoas importam. (pág. 270)



adicione no skoob: as cores da vida

Título original: True Colors
Escritora: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Lançamento: 2016
Gênero: drama / romance

SINOPSE
Uma arrebatadora história sobre irmãs, rivalidade, perdão e, em última análise, o que significa ser uma família. As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, o amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, na verdade são inseparáveis. Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho da família e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza. Mas, sendo a melhor advogada da cidade, ela está determinada a lhe provar seu valor. Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos – ainda que esconda os próprios problemas. E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração grande e indomável e é adorada por todos. Parece que em sua vida tudo dá certo. Até que um forasteiro chega à cidade... Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e um crime abala a cidade, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.

You May Also Like

10 Comments

  1. Ooi,
    Eu nunca li nada da autora, não sei porque... os livros dela sempre têm bons comentários e eu achei muito interessante os comentários que você fez. Como essa não foi seu favorito, acho que não vou começar por ele, mas que livro da autora você recomenda?

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, como estão as coisas?

    Nunca cheguei a ler algo da autora, apesar da maioria dos comentários que vejo serem positivos. "As cores da vida" parece ser uma obra muito boa; família sempre é um assunto que dá para trabalhar em histórias de diversas formas, não é? Dá ao autor um campo de visão gigante e acho que a premissa dessa obra é muito interessante. Muito obrigado pela dica, adorei a sua resenha, super completa, como sempre :)

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Nunca li nada da autora, mas tenho muita curiosidade. Adorei tua resenha, parece ser uma leitura bem bonita e interessante. Ótima dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conhecia essa autora, espero que nessa quarentena eu tenha um bom tempo para conhecer melhor as obras dela, adorei sua resenha

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Nossa que pena que no geral o livro não te agradou no todo, mas entendo esse sentimento de sempre indicar um autor. Eu tenho ouvido falar bastante dela ultimamente, mas ainda não tive oportunidade de ler nada. Quero tentar mudar isso esse ano. Adorei a sua resenha sincera! E as fotos <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Fabiana!
    Eu sempre leio o pessoal falando super bem dos livros da Kristin Hannah, mas nenhum livro dela me deixa interessada. As tramas nunca me deixam curiosa.
    No entanto, por incrível que pareça, apesar de você não ter gostado tanto desse, acho que foi o primeiro dela que fiquei com vontade de ler.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/05/resenha-shakespeare-and-company.html

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro, já conheço outros livros da autora, mas nao li nenhuma ainda, me interessei muito pelo enredo desse livro ja vou anotar ele no skoob para ler futuramente
    Brubs
    https://quemevcbrubs.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Fabi.
    Eu tenho vários livros dessa autora na estante, mas ainda não tive a chance de ler nenhum. Preciso sentar e me organizar aqui para ver se tenho esse. Se tiver, acho que vou começar a ler por ele, já que foi o que menos te emocionou! Rs... Acho que, por não ter lido outro, eu possa ter uma reação mais impactante com ele! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  9. Oi Fabi!
    Eu ainda não li nenhum livro da autora, mas já recebi recomendações! Pelo que vc mencionou, ela consegue mesmo envolver o leitor, só ainda não tive oportunidade! E que bom que vc gostou da leitura, mesmo não tendo se emocionado totalmente!
    bjos!
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom?
    Também sou apaixonada pela autora e por seus livros e esse infelizmente foi o único dela que não gostei. Concordei com todos os pontos que você citou a respeito da resolução dos acontecimentos. Além disso, não consegui me conectar ou criar empatia por nenhum dos personagens, infelizmente. Mas fiquei feliz em ver que mesmo com as ressalvas, essa leitura funcionou melhor para você ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir