Conheça C. Nan Bianchi, autora de Aquilo que Realmente Importa

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Para começar 2020 em grande estilo, convidei C. Nan Bianchi, autora de "aquilo que realmente importa" para contar um pouquinho mais sobre ela e sua jornada de escrita.

entrevista
PS AMO LEITURA: Olá, Carol! É um prazer enorme entrevistar você e espalhar para mais pessoas sobre suas obras. Para começar, eu gostaria de saber para você como é escrever sob pseudônimo? Porque imagino que deve ser uma boa jornada. Você encontra muita dificuldade nisso?

CAROL: Oi, Fabi!! O prazer é todo meu, amo o psamoleitura demais, sempre fui recebida com muito carinho aqui. Escrevo sob o pseudônimo C. Nan Bianchi, o Carol é meu, então a relação acaba sendo bem orgânica, não sinto como se fosse uma outra pessoa quando falam comigo, isso mantém a comunicação pessoal. Mas por outro lado, sim, passo por umas situações embaraçosas, hilárias, mas me divirto com elas, afinal ser autora é minha aventura! =)


PS AMO LEITURA: Você é uma autora maravilhosa e que publica vários e-books de forma independentes. Qual o maior desafio que você encontra nessas publicações?

CAROL: Ahh, obrigada, fiquei com vergonha agora!!! Acho que o meu maior desafio foi dar o primeiro passo, sabe? Publicar. Sempre sonhei em fazer isso por uma editora, mas descobri rápido que o mercado literário no Brasil é difícil ainda para novos autores, eu não tinha um público formado, precisava lançar algo para criar um. Quando a Amazon chegou ao Brasil e abriu a venda de ebooks, lembro que pensei “Taí, essa é a chance, vou tentar.”, era um mercado novo e cheio de possibilidades. Mas eu era muito nova, hesitei. Deixei a insegurança tomar conta e continuei achando que o fato das editoras não terem me respondido era algo determinante. Hoje vejo que não era.

Para tudo há um tempo, um momento certo. É o que bato muito em Aquilo que realmente importa, tudo se trata da jornada, é preciso começar e os passos te levarão a algum lugar, pode ser para onde você sonhou, mas também para lugares que você nem imaginou que iria. E isso, arriscar, não é mais tão assustador assim pra mim. Desde que lancei o Aquilo que realmente importa, fui abençoada por ele ter sido encontrado pelos leitores, por conhecer muita gente especial no caminho, ter o prazer inenarrável de receber o convite para integrar o primeiro catálogo Prime da Amazon Brasil, entrar para o time de Best sellers e estar há quase cinco meses transitando ali entre os cem mais vendidos da loja. Então ser independente pode parecer desafiador a princípio, mas é um caminho tão válido quanto qualquer outro. Sou feliz porque ele me trouxe até aqui. =)

PS AMO LEITURA: Uma curiosidade que acredito que todo leitor adora saber mais é: como você se tornou autora? O que te inspirou a escrever o seu primeiro livro?

Foto retirada do Instagram
CAROL: Acho que desde que aprendi a escrever, comecei a dizer que queria ser escritora ( Pode imaginar os clássicos escritos por aquela menina haha). Eu escrevia muito, Fabi, o tempo todo, compulsivamente. Isso, escrever, faz parte do meu trabalho até hoje, acho que faz parte de mim. E não posso te dizer o que me inspirou para o meu primeiro livro porque nem me lembro
qual foi! Não ria, é sério! Eu tenho uma condição de completa falta de foco em um livro só que me faz escrever várias coisas ao mesmo tempo sempre. É muito doido, fico trocando de um para o outro e só Deus sabe qual vai terminar antes. Às vezes tô com um a 20 páginas do fim e começo outro do zero. Tenho uma gaveta cheia de projetos, mas não sei mesmo qual começou tudo. Taí, vou tentar descobrir um dia a origem.

PS AMO LEITURA: Já que perguntei como você iniciou sua carreira de autora, me conta quais são os autores que te inspiram e o que te inspira a escrever cada um dos seus livros?

CAROL: Huuummm... vamos lá, vou dizer que sou muito eclética. AMO Antoine de Saint-Exupéry, Alex roubou isso de mim, e sou fã de carteirinha de Jane Austen (pergunta quantas vezes já li os livros e vi os filmes que vai se chocar! Rs ). Gosto muito de Alice, de Lewis Carroll, sou fã de JK Rowling e Veronica Roth, mulheres fantásticas que fizeram parte da minha geração literária. E
um mistério com Conan Doyle e Agatha Christie? Sensacional! Também curto Clarice Lispector e Martha Medeiros. Gente, ler é muito bom, né, não consigo parar essa lista, me segurem!

E sobre o que me inspira a escrever... Acredito que são as reflexões sobre a vida. Sonhos também, sonho com cenas inteiras e sempre tenho um caderninho do lado da cama para anotar assim que acordo. E tenho um hábito antigo, toda vez que acontece algo bom ou ruim, anoto no caderno como isso me fez sentir. Acho que aquilo que falei antes sobre a minha incapacidade de escrever uma coisa só por vez tem muito a ver com a inspiração, eu escrevo conforme o humor, o que sinto, o quero passar, fica mais fácil traduzir os sentimentos assim. Se eu forçar um tema, uma sensação, não me parece real. Passar essa verdade no texto é algo importante quando começo.

Sobre a inspiração de cada livro, acho que varia muito. Diria, por exemplo, que Aquilo que realmente importa é inspirada no mundo moderno, nessa corrida que é a vida, sem tempo pra nada, a frustração de viver cercada de propagandas e estilos glamourosos todo o dia nas mídias e redes sociais, de tentar se encaixar e ver que não cabe ali, mas continuar tentando, mesmo que isso faça mal no final do dia. A mensagem dele é de libertação, de buscar viver mais leve, focar naquilo que nos faz feliz.


PS AMO LEITURA: “Aquilo que realmente importa” foi seu primeiro e-book publicado e tem mais de 600 páginas (devorei em poucos dias de tão incrível) e agora vi que você está trabalhando em algumas divisões para ele, certo? Por que você decidiu dividi-lo? Me conta mais.

CAROL: Quando lancei, o livro era ainda maior, Fabi!! hahaha. Tá, acompanha aqui comigo: Desde o início, o mais indicado era dividir o primeiro volume em dois para viabilizar uma possível publicação impressa, mas como optei pela autopublicação e começaria com o livro digital, fiz um livro só, já que ao contrário de um livro físico, o ebook não ficaria com o custo de produção maior por conta disso e passaria melhor a ideia de uma jornada.

Agora vem a edição especial, que tem foco justamente na publicação impressa, e Aquilo que realmente importa foi dividido em dois livros ( O sofá viajante e O inglês misterioso), e então segue a ordem normal da série: Fadas Madrinhas também vão ao baile e O casamento indiano. Mas a original continua, é só uma proposta diferente.




PS AMO LEITURA: Ainda em “aquilo que realmente importa”, a personagem Vanessa é bem determinada e enfrenta todos os seus medos/anseios de frente, sem se preocupar. Você consegue se ver um pouco nela ou se identifica com algum outro personagem que você criou?

CAROL: Meus personagens existem em mim de forma independente, é meio estranho dizer isso, mas é a mais pura verdade. Uma vez que os imagino, eles ganham vida e suas características estão lá, prontas. Mas sim, me vejo em alguns deles em diferentes aspectos, como no desapego e amor pelas viagens da Vanessa, na impulsividade do Eros, na curiosidade por outras culturas da Miriam... Mas a verdade é que busco criar personagens que me inspirem a ser melhor. Não perfeitos, pois ninguém é, mas que continuam tentando. Tentar evoluir é uma das coisas mais lindas da vida.


PS AMO LEITURA: “Golden Boys”, tanto Ian quanto Eros, são livros divertidos, leves e que nos faz pensar em quem nunca se apaixonou por um famoso, né? Eu posso dizer que eu já hahaha. E eu queria saber: devemos esperar mais livros baseados nessa trama? Quantos? E qual famoso foi seu crush na adolescência?

CAROL: HAHAHA Morrendo de curiosidade para saber o seu crush, Fabi!!!! E, sim, podem esperar por mais! Os próximos são do Thay-Thay (que vai ser só amor!) e do Fael (bem engraçado!). A verdade é que gosto bastante de escrever essa série, apesar de leve, devo dizer que arrisco bastante nela. Principalmente no primeiro livro, porque queria passar uma mensagem que só seria compreendida de fato no segundo. Sério, seria muito mais fácil dar o final esperado ali, mas acho que isso é algo com que me comprometo ao escrever: não entregar o que meu leitor espera, pelo menos não da forma como ele imaginou.

Agora, meu crush de adolescência??? Fabi, Fabi do céu, não me comprometa... (Te conto depois no direct kkkk)

PS AMO LEITURA: “Red Quinn” também foi um livro bem diferente que você escreveu. Para quem te acompanha desde o começo, assim como eu, é possível perceber a sua flexibilidade na escrita e abordar sobre diversos temas. Você sentiu muita dificuldade em escrever um romance como esse?

Foto retirada do Facebook
CAROL: Já deu pra ver que não paro quieta, né? Toda a hora cismo de fazer algo diferente, os próximos são uma fantasia, um livro técnico, um drama, um livro humorístico/utilidade pública e por aí vai! rs Olha, não achei difícil porque era o que estava com vontade de fazer na hora, mas me propus a escrever dentro do que me senti confortável: meu compromisso foi com a ficção, não com a precisão. Deixo isso já explícito logo no início do livro porque queria dar vida a uma personagem que quebrasse com o esperado da sua época, uma situação inusitada e lúdica. Amo a literatura por me permitir criar coisas assim, ela não tem limites, assim como a nossa imaginação.

PS AMO LEITURA: “A melhor idade” foi o seu último lançamento e um livro que possui um contexto bem distópico, eu diria. Lembro que você comentou comigo sobre participar de um prêmio com ele, estou correta? Como foi participar dessa premiação? E como foi escrever essa obra?

CAROL: Menina, eu não sei!!! =D Não foi divulgado ainda, mas achei interessante demais quando anunciaram o prêmio porque o vencedor poderia virar filme no Amazon Prime. Incrível, né?! Para participar, resolvi terminar uma história que estava lá na gavetinha porque, apesar de ser uma distopia, ela trata de questões bem atuais no mundo. A melhor idade foi um livro bem difícil de escrever porque ele é polêmico, choca e incomoda bastante de cara, mas acho que traz assuntos que devem ser falados, tirados da caixa, pensados. Traz uma mensagem que vejo que falta muito no nosso dia a dia.


PS AMO LEITURA: Eu gostaria de te agradecer por ter dedicado seu tempinho aqui comigo e dizer que estou muito feliz em tê-la fazendo parte das entrevistas aqui do blog. E para encerrar, aqui vai a última pergunta e principalmente a que estou mais curiosa em saber: você está trabalhando em um livro novo? Pode contar um pouquinho mais para a gente?

CAROL: Eu é que te agradeço, Fabi, adorei demais participar!!! E adivinha? Estou trabalhando em vários ao mesmo tempo de novo! (não tem solução, não tomo jeito! rs). A ordem que eles vão sair, é como falei antes, não faço ideia, só Deus sabe! Tem pra tudo quando é estilo e gênero, mas já posso adiantar que estão vindo com mensagens fortes, cheios de sentimentos e assuntos que quero muito levantar esse ano. E, só uma pista, talvez o primeiro já chegue por aí em
fevereiro...


Vocês gostaram da entrevista? Já leram alguma obra da autora? Conte mais nos comentários.

22 comentários

  1. Olá!

    Que entrevista maravilhosa, as perguntas bem interessantes e a autora um amorzinho, adorei conhece-la, foi antes do livro, mas já abri uma aba para ler sua resenha e outra para a Amazon.

    Muito sucesso para a Autora e para o blog.

    Beijão
    http://leitura-terapia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! A Carol é realmente maravilhosa! Foi um presentinho que eu ganhei do blog para a vida! Espero que curta a minha resenha e adquira suas obras. Não vai se arrepender.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Nunca li nada da autora, mas já vi alguns dos ebooks dela na Amazon, e parecem ser muito bons! Adorei essa entrevista, a autora é um amor!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, leia! São livros sensacionais e que conquistam demais. Espero que eles te conquistem também.

      Excluir
  3. Que delícia de entrevista, super informal e muito simpática ela..
    Já vi alguns e-books dela circulando por ai, mas nunca li nada :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é um amorzinho! E gosto de entrevistas assim, descontraídas e que faz com que todos conheçam um pouco mais da autora. Espero que tenha chance de ler suas obras, pois vale muito a pena.

      Excluir
  4. Fabi!
    O que mais gosto nas entrevistas é poder conhecer todo processo criativo dos autores, suas inperações e como entraram no mundo literário, fico fascinada com a história de cada um e com a da Carol não foi diferente.
    Fiquei triste porque ela não revelou o crush dela da adolescência...kkkkk
    Desejo cada vez mais sucesso!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É incrível, né? O que mais estou gostando em entrevistas é isso: conhecer mais sobre os autores. E a Carol é incrível! Queria poder contar o crush, mas não posso hahaha.

      Excluir
  5. Vou confessar que nunca fui fã de ler entrevistas até ler essa hahaha. Infelizmente, nunca li nada da autora e ela me pareceu tãão querida, gostei do modo como ela respondeu tudo sempre com um toque de carisma e uma frase que ela disse e que eu vou levar pra vida toda foi essa: "Tentar evoluir é uma das coisas mais lindas da vida". Adoreeei demais a entrevista. Parabéns! ♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Carol é muuuito querida, sério! <3 Eu sou suspeita em falar sobre a autora e sobre suas obras. Recomendo que você leia. Acredito que vai adorar.

      Excluir
  6. ola
    muito boa a entrevista
    e tao bom conhecermos um pouco as autoras e ela foi muito simpatica nas respostas
    que ela obtenha exito na caminhada de escritora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é muito fofa! <3 Eu sou suspeita em falar sobre ela, pois é muito querida.

      Excluir
  7. Que autora simpática! Amei as perguntas e as respostas descontraídas dela, cheguei a ficar com vontade de ler seus livros, ainda mais porque ela mencionou que gosta de tocar em temas mais polêmicos (e eu amo isso!) Adorei saber que ela é eclética e alguns de seus autores preferidos eu também amo. Me diverti ao saber que ela escreve vários livros ao mesmo tempo, dá para ver que ela é pura energia.

    Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Carol é ótima! Garanto que você vai adorar os livros dela e todos tem um toque de humor.

      Excluir
  8. Adoro ler emtrevistas, sempre é bom conhecer melhor as pessoas, ainda mais quando essa é uma escritora. Confesso que não conhecia a escritora embora o nome de sua obra não me soe estranho. Mas ainda assim gostei de conferir a entrevista, legal mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado e espero que dê uma chance as obras. Garanto que vai adorar!

      Excluir
  9. Olá!!!
    É sempre bom ler entrevistas com autores, pois a gente acaba conhecendo mais sobre o mesmo e às vezes se identificando com algo dele que é muito nossa cara. Eu acho que não conhecia a autora até então, mas fiquei curiosa sobre sua obra e anotei a dica.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou suspeita em falar da Carol, pois ela é realmente ótima! Espero que conheça suas obras.

      Excluir
  10. Olá, tudo bem? NOSSA, estou com esse livro no kindle e já me animei mais para ler, espero ler em breve e amei conhecer a autora através do seu blog.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual livro no kindle? :) Espero que seja uma boa leitura.

      Excluir
  11. Oi Fabiana, tudo bem?
    A entrevista foi EXCELENTE! ADOREI mesmo a autora e estou muito interessada em conhecer os livros dela. Tenho Unlimited e grande parte dos livros que tenho nele são de autores brasileiros. Sem dúvida temos de valorizar a prata da casa!
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os livros da Carol também estão no KU, então aproveita para conhecer todos ;D

      Excluir