Resenha | A pequena sereia e o reino das ilusões, de Louise O'Neill

A pequena sereia e o reino das ilusões”, publicado pela Darkside Books, vai contar a estória de uma sereia totalmente diferente da qual conhecemos; uma sereia que abriu mão de sua natureza em busca do verdadeiro amor.

Louise O'Neill

Uma edição maravilhosa

O que falar das edições da Darkside? Todas são excepcionais! Isso é algo que não há como reclamar da editora, assim como o marketing excelente em relação a suas obras, mas, infelizmente, “a pequena sereia e o reino das ilusões” foi apenas uma capa bonita.

Logo de cara você já imagina tudo que o livro pode proporcionar: uma mulher forte, empoderada, causando uma grande revolução no fundo do oceano e até mesmo uma semelhança com A Pequena Sereia – aquela na qual todos nós conhecemos da Disney, mas não. Esqueça qualquer estória de sereia que você conheça.

Esse livro vai contar a estória de Gaia, uma sereia que sempre esteve ao poder de seu pai e buscava saber sobre sua mãe. As histórias que lhe contavam nunca eram suficientes e não se encaixavam como ela esperava. Sua mãe realmente havia morrido pela mão de um humano? Porém ela não queria ter que ficar no fundo do mar passando por um casamento arranjado e queria fugir do controle de seu pai.

Decidida a encontrar uma nova vida em terra, junto com os humanos, Gaia precisa abrir mão de algo importante, aliás, para qualquer ação existe uma reação e um sacrifício. Quando ela sobe para a superfície, ela começa se perguntar: será que realmente valeu a pena abrir mão¿ Será que não teria outra solução?

Só que no meio desses questionamentos, ela está amando um humano. Mas o amor dele não é correspondido e para que tudo tenha valido a pena, ela precisa que esse amor seja recíproco. Ela precisa descobrir mais sobre sua mãe e também sobre si mesma. E é onde a jornada começa.

Louise O'Neill

Parece tudo encantador

Contando dessa forma, acredito que fica algo instigante e até mesmo satisfatório de ler, certo? Mas infelizmente a forma como Louise O’Neill colocou a personagem Gaia, fez parece-la totalmente submissa e sem atitude alguma.

Em muitos momentos durante a leitura eu tinha vontade de jogar o livro longe e não conseguia acreditar como a personagem era daquela forma, como ela foi capaz de fazer tal sacrífico em nome do amor – vulgo amor porque ela descreveu assim, mas ela só havia visto o cara. Como você se apaixona por alguém que só vê uma única vez? Isso seria amor platônico, estou certa?

Isso foi um dos pontos que me deixou realmente irritada na leitura. Sem contar que essa edição possui alguns erros como “meus tornozelos”. Eu fico me perguntando: mas sereia não tem caldaAcredito que isso e outros que encontrei durante a leitura foram deixados de lado no ato da revisão. Infelizmente.

Louise O'Neill

Depois de tudo, vem o arrependimento

Como se eu já não tivesse saturada da leitura, a autora decidiu fazer com que a personagem Gaia ficasse totalmente arrependida de seus atos. Ok, isso é algo comum e pode acontecer com qualquer pessoa, mas é exatamente por isso que não saímos por aí sacrificando algo em nós em nome do amor.

Se a autora quis mostrar isso em um ponto no livro, acho que ela conseguiu passar a mensagem, afinal, nós devemos amar as pessoas e devemos nos doar para elas, mas não precisamos sacrificar nós mesmos em nome desse amor. É preciso, acima de tudo, amar a si mesmo.

Em contrapartida, a autora quis passar uma leitura feminista e falhou. Em cada capítulo era totalmente perceptível como Gaia era submissa a qualquer pessoa, seja pelo seu pai, pelo seu casamento arranjado ou até mesmo por outros seres do mar ou pelos humanos. Ela não tinha personalidade e não sabia se encontrar no meio dessas emoções.

Uma pena que um livro com uma capa tão encantadora e que tinha tudo para ser uma releitura incrível, não tenha me conquistado em nenhum aspecto. Infelizmente, para mim, o marketing foi o que fez a obra ser tão marcante.

Louise O'Neill

O final era o que eu queria no livro todo

No último capítulo, algumas coisas acontecem e faz com que Gaia tome a atitude que deveria ter tomado desde o segundo capítulo: fortes emoções, uma evolução incrível e que você começa a pensar porque isso demorou tanto para acontecer.

É realmente triste você passar mais de 200 páginas lendo, empurrando a leitura e esperando algo revolucionário acontecer (assim como a sinopse diz) e nada. É como dizem: “você nada, nada e morre na praia”. Era assim que me sentia nessa leitura e quando cheguei no último capitulo fiquei realmente chocada por ter demorado tanto e ainda assim, falhado.

Digo que falhou até mesmo no capítulo final, pois a forma como Louise relatou os fatos, parecia algo totalmente forçado. Sabe quando precisamos colocar algo em uma redação só para completar a quantidade de palavrasEntão, foi essa sensação que eu tive.



A pequena sereia e o reino das ilusões” não me cativou em absolutamente nada. A capa é maravilhosa, a edição da Darkside é incrível, o marketing foi bem trabalhado, mas o conteúdo deixou a desejar.

Se você for ler esse livro, não coloque tanta expectativa. Não espere por uma releitura de contos de fadas e não espere por uma personagem empoderada. Leia simplesmente para passar o tempo ou por curiosidade. Não crie expectativas.



adicione no skoob: a pequena sereia e o reino das ilusões | 1,5 ❤

Título original: The Surface Breaks
Escritora: Louise O'Neill
Editora: Darkside Books
Páginas: 224
Lançamento: 2019
Gênero: fantasia 

SINOPSE
Esqueça as histórias sobre sereias que você conhece. Esta é uma história diferente — e necessária. E tudo começa no fundo do mar. Com uma garota chamada Gaia, que sonha em ser livre de seu pai controlador, fugir de um casamento arranjado e descobrir o que realmente aconteceu à sua mãe desaparecida.
Em seu aniversário de quinze anos, quando finalmente sobe à superfície para conhecer o mundo de cima, Gaia avista um rapaz em um naufrágio e se convence de que precisa conhecê-lo. Mas do que ela precisa abrir mão para transformar seu sonho em realidade? E será que vale a pena?
A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões chega para trazer um pouco mais de contos de fadas para a linha DarkLove, da DarkSide® Books. Mas não do jeito que você espera; aqui, a história original de Hans Christian Andersen — e também suas versões coloridas e afáveis em desenhos animados — é reimaginada através de lentes feministas e ambientada em um mundo aquático em que mulheres são silenciadas diariamente — um mundo que não difere tanto assim da sociedade em que vivemos.
No reino de ilusões comandado pelo Rei dos Mares, as sereias não recebem educação, não têm direito de fala, devem se encaixar em um padrão de beleza impossível e sempre sorrir. É neste cenário que a autora irlandesa Louise O’Neill apresenta uma história sobre empoderamento e força feminina. Com narrativa e olhar afiados, a autora ainda desenvolve aspectos do conto original que passaram batido, como o relacionamento de Gaia com as irmãs e as camadas complexas da Bruxa do Mar.
A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões, que chega ao mundo acima da superfície da água com o padrão de qualidade que virou marca registrada da DarkSide® Books, mostra como, em um reino comandado pelo patriarcado, ter uma voz é arriscado. Mas também como querer usá-la é uma atitude extremamente poderosa e valiosa. Ainda mais em tempos tão sombrios.

Resenha | A pequena sereia e o reino das ilusões, de Louise O'Neill Resenha | A pequena sereia e o reino das ilusões, de Louise O'Neill Reviewed by PS Amo Leitura on agosto 20, 2019 Rating: 5

22 comentários:

  1. Esse livro está em uma edição maravilhosa, como tudo que a editora lança!
    Apesar de ter lido muitos comentários negativos sobre esse enredo, eu curti muito a abordagem e como tudo foi finalizado, deixando até brecha para uma nova história!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As edições da Darkside são realmente maravilhosas! Sou apaixonada em todas. Infelizmente o livro não me cativou e esse é aquele típico livro que metade ama e metade não gosta haha.

      Excluir
  2. Oi Fabiana, a edição é muito linda mesmo e pelo que tu falou no começo, se parece mesmo com a pequena sereia da Disney. Já li livros que ficaram enrolando, não abandonei, porque não costumo fazer isso e porque sempre resta a esperança de que o final valha a pena. Que chato que foi total decepção, quando eu ler, tentarei não criar expectativas.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando comprei esse livro, até imaginei que seria a pequena sereia da Disney, mas infelizmente não foi. Esse não foi o maior problema, mas a forma como tudo foi relatado, sim :(

      Excluir
  3. Preciso dizer que sou só amor por esse livro.
    Fiquei babando nessa edição, e quando li, nossa...
    Gaia não é empoderada, mas o texto da Louise é. Ela traz críticas tão necessárias.
    E Ceto é maravilhosa!
    Amei mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que você tenha gostado. Infelizmente não consegui me conectar e não achei uma escrita de empoderamento :( esse livro causa muita controvérsia hahaha.

      Excluir
  4. Este livro veio em uma edição lindíssima, fiquei bem empolgada com a obra e quero ela o mais rápido possível vi que a abordagem é bem diferente e importante, to louca pela leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você curta a leitura :) a edição está belíssima mesmo.

      Excluir
  5. Eu não gosto muito da história de A pequena sereia porque mostra mais uma forma de obsessão do que amor verdadeiro. Ela encontra um príncipe, se apaixona por ele porque ele é bonito e decide sacrificar suas pernas. As músicas da Disney são legais, mas a história não convence. rsrs
    Acho que dispensaria a leitura desse livro fácil, fácil.
    bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto da história, mas essa releitura não me conquistou. Confesso que deixou bastante a desejar, o que é uma pena.

      Excluir
  6. Oi Fabiana,
    Ainda não li ele, mas vi opiniões diversas e também acho péssimo quando a protagonista resolve tomar alguma atitude no final da história. Tem alguns momentos que a gente para e pensa que se tivesse tomado essa atitude antes, teria evitado muita coisa. Mas fazer o quê, né? Acho essa edição linda e é uma pena que seja apenas isso.

    Bjo
    https://www.imersaoliteraria.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A edição é linda demais! Por ela vale todas as estrelinhas, mas o conteúdo... infelizmente é um livro que não gostei. Uma pena mesmo que muitas atitudes tentaram aparecer apenas no final.

      Excluir
  7. Oi, eu queria muito esse livro pela edição incrível e por amar releituras, mas, assim como sua resenha, já vi várias outras que falam sobre não encontrarmos a ideia que o marketing vendeu, então não estou mais tão empolgada para ler.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marketing é isso, né haha mas uma pena que não tenha sido da forma que esperávamos ou melhor, da forma como foi relatado.

      Excluir
  8. Nossa, que pena. Mesmo. Como você disse, é um livro com uma edição linda. Mais do que isso, a sinopse poderia ter dado um resultado em uma história maravilhosa. Mas quando a personagem é submissa demais, realmente, a leitura irrita.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena demais. Estava tão empolgada pela leitura que, infelizmente, "dei de cara na porta" :(

      Excluir
  9. Olá! Como vai?
    Nossa, uma pena que a leitura não tenha sido boa pra você. É realmente triste quando vamos tão ansiosos pra um livro e ele nos decepciona. Uma coisa que ninguém pode negar mesmo é como a Darkside capricha nos livros, uma pena que ficou apenas nisso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente... o trabalho de diagramação da Darkside é impecável, mas, infelizmente, essa história não me conquistou. Muito triste mesmo quando isso acontece :/

      Excluir
  10. Poxa vida, que decepção! Esse livro é uma edição lindissima e eu achei que realmente fosse uma história de empoderamento e uma leitura totalmente feminista, que pena, a autora tinha tudo pra fazer uma narrativa maravilhosa mas se perdeu pelo caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha mesmo. Infelizmente no final que a história realmente tinha tudo para ter um grande empoderamento, mas... :(

      Excluir
  11. Olá, tudo bem? Não me admira o que tenha acontecido com você, pois ultimamente tenho visto resenhas da mesma opinião que a sua. É indiscutível a qualidade das edições da obra da Darkside, mas eu vejo cada mais opiniões diversas sobre seu conteúdo. Não sei se seria uma leitura para mim, justamente pela falta do empoderamento feminino, no entanto foi super válido ver sua opinião. Ótima e sincera resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Infelizmente depois que comprei a obra e vi algumas resenhas, vi que teve pessoas com a mesma experiência que eu e isso foi realmente triste.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.