sexta-feira, 12 de abril de 2019

RESENHA | O sal das lágrimas, de Ruta Sepetys

Inverno de 1945. A Segunda Guerra Mundial está acontecendo e o mundo está um completo caos. O país está recebendo ataques pelo Norte e pelo Sul, como sobreviver ao meio desses trágicos acontecimentos? “O sal das lágrimas” foi um dos lançamentos de fevereiro da Editora Arqueiro e tem uma premissa forte e emocionante.

Ruta Sepetys

O ENREDO

A autora Ruta Sepetys tem dom de escrever livros com narrativas em segunda Guerra. Já li o outro livro da autora (a vida em tons de cinza– relançado com o nome cinzas na neve) e me cativou imensamente e com este não foi diferente. Neste nós conhecemos quatro histórias, mas que no final, vira apenas uma, pois é o que a Guerra faz com as pessoas.

Emília, Joana, Alfred e Florian. Quatro refugiados, cada um de um país diferente, que se cruzam no meio do caminho. É uma luta diária para manter-se vivo e fugir de toda assombração que a tragédia está deixando, assim como todas as mentiras que rodeiam.

"Percebi que dizer a verdade poderia ser a munição de que eu precisava." (pág. 132)

Ruta Sepetys
O que causa um impacto maior neste livro é saber que “o sal das lágrimas” foi baseado em acontecimentos reais! O navio Wilhelm Gustloff foi afundado em 1945, matando mais de 9 mil refugiados. Um dos piores desastres já ocorridos! É impossível não se emocionar com essa impactante história.

OS PERSONAGENS

Cada capítulo é narrado por um personagem e vamos conhecendo um pouco mais sobre o passado de cada um e o que aconteceu antes de chegarem naquele deplorável momento.

Quando sabemos que a história é baseada em acontecimentos reais, o coração já fica apertadinho logo de cara e você começa imaginar como algo assim foi possível acontecer em nossa história. Você cria uma empatia por cada um e começa sentir com muita profundidade todos os fatos.

"O simples fato de alguém bater à porta, não significa que você tenha que abri-la. Às vezes, há lobos à porta. Se a gente não toma cuidado, eles podem nos devorar." (pág. 134)

Cada história me tocou de alguma forma, mas a da Emília, em certo ponto, foi a qual me chocou mais. Me trouxe aquela angustia, sabe? É realmente tocante ler todos os ocorridos.

Ruta Sepetys

A NARRATIVA

Nem preciso dizer que a narrativa traz aquela sensação de apertinho no coração, mas ao mesmo tempo de esperança. A escrita da Ruta é muito boa e real, assim como todos os acontecimentos. É inevitável não deixar o coração por completo neste livro.

Acho que o momento mais impactante é quando todos os personagens se conhecem e começam a cuidar um do outro para sobreviver essa terrível jornada. Podemos perceber que apesar de tudo, a compaixão é algo que está presente na vida de todos, assim como a esperança de dias melhores.

"Os obstáculos não existem para que nos rendamos a eles, mas apenas para serem superados." (pág. 222)

FINALIZANDO...

Ruta Sepetys
Quando eu li “a vida em tons de cinza”, outro livro da autora, eu me surpreendi com os fatos narrados. Sabe quando você não consegue acreditar que algo assim aconteceu de verdade em nossa história? Então.

Logo na primeira página de “o sal das lágrimas” eu já sabia que o livro iria despertar diversas emoções em mim. Cada página é um aprendizado e uma lição de vida. É para mostrar o quanto o passado, principalmente a Guerra, destruiu muitas vidas.

"Sabe, o medo é um caçador. Cerca-nos quando estamos desarmados e quando menos esperamos. E, depois, somos forçados a tomar decisões." (pág. 282)

Para quem gosta de livros com narrativas na Segunda Guerra, assim como eu, este é aquele livro necessário! Ele vai apresentar um lado da Guerra que não conhecemos; vai nos fazer a acreditar em um amanhã melhor e lutar com todas as forças para sobreviver.


Avaliação: 4 ❤ - adicione no skoob: o sal das lágrimas

Título original: Salt to the sea
Escritora: Ruta Sepetys
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Lançamento: 2019
Gênero: guerra mundial / drama

SINOPSE
Inverno de 1945, Segunda Guerra Mundial.
Quatro refugiados, quatro histórias.
Joana, Emilia, Florian, Alfred. Cada um de um país diferente. Cada um caçado e assombrado pela tragédia, pelas mentiras e pela guerra. Enquanto milhares fogem do avanço do exército soviético na costa da Prússia, os caminhos desses quatro jovens se cruzam pouco antes de embarcarem em um navio que promete segurança e liberdade. Mas nem sempre as promessas podem ser cumpridas...
Profundamente comovente, O Sal das Lágrimas se baseia em um acontecimento real. O navio alemão Wilhelm Gustloff foi afundado pelos russos no início de 1945, tirando a vida de mais de 9 mil refugiados civis, entre eles milhares de crianças. É o pior desastre marítimo da história, com seis vezes mais mortos que o Titanic. 

32 comentários:

  1. Gosto muito desse tipo de narrativa dos tempos de Guerra e as consequências e coisas assim. Quando fala de algo que realmente aconteceu me chama atenção até pra pesquisar e saber mais sobre aquilo. Esse parece bem forte por isso, por mostrar um fato que aconteceu e por deixar aquela empatia, aquele aperto no coração pelos personagens e situações. Adoraria ler. Parece estar uma leitura bem gostosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma leitura muito boa mesmo. E o que me deixou mais chocada e com aquele aperto no coração foi por saber que é algo que realmente aconteceu. É triste, mas é real. Espero que tenha a chance de ler este livro.

      Excluir
  2. Olá!
    Apesar de eu nunca ter tido a oportunidade de ler uma obra com temática da Segunda Guerra, me encanto por esse assunto e tenho muita curiosidade. Esse livro parece ser muito intenso e sua resenha me deixou com gostinho de quero mais <3
    Beijos, Fantasma Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado da resenha e eu espero que tenha a chance de se aventurar por essa temática. São livros de partir o coração, mas que traz inúmeras lições. Espero que goste!

      Excluir
  3. Livro de fundo da Segunda Guerra Mundial, e baseado em fatos reais?! Não me canso de ler eesse livros, mesmo sabendo ser uma leitura muito triste!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São leituras tristes mesmo, mas que trazem muitas lições. Espero que você leia este livro.

      Excluir
  4. Amo livros com base na Segunda Guerra, choro horrores e passo um tempo mal, mas é muito importante pra gente saber da história e pelo que outras pessoas passaram. Ser baseado em fatos reais já me dá um dor no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É importante mesmo conhecer um pouquinho mais dessa parte da nossa história. Garanto que esse livro vai te trazer muito aperto no coração, mas é uma boa leitura. Eu recomendo.

      Excluir
  5. Tenho um fraco por livros que se passam em tempos de guerra; e sua resenha me deixou interessada em conhecer essa história, ainda mais por saber que é uma leitura tocante.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que todas as leituras baseadas na guerra são tocantes, né? Espero que você tenha a chance de ler este livro e goste dele tanto quanto eu.

      Excluir
  6. Fabi!
    Não li nenhum livro da autora, mas ver um assunto tão importante como a guerra, ser abordado de forma resa e sem aprofundamento, há meu ver tira um pouco o brilho da obra, o que é uma pena porque o assunto é feito para nos emocionar de forma intensa.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acredito que tenha sido uma leitura rasa, Rudynalva. EU gostei muito da leitura e você sente com profundidade todos os acontecimentos. A obra está impecável!

      Excluir
  7. Não conhecia o livro, mais me interessei pela premissa do livro.
    Gosto de livros sobre a guerra.
    Vou por na lista com certeza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se gosta de livros assim, então vai mesmo adorar a leitura deste.

      Excluir
  8. Olá!
    Eu já li o livro A vida em tons de cinza em ebook, foi o primeiro que tive contato com essa autora, acredite, foi uma historia que me emocionou muito, parecia que era eu que estava sofrendo ao ler a historia..Esse tem premissa ótima e estou muito curiosa em ler.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A autora tem esse dom de fazer a gente sofrer junto com os personagens, né? Não doi diferente nessa leitura. Espero que tenha a chance de ler e te emocione também.

      Excluir
  9. Livros que se passam durante a segunda guerra geralmente tem uma carga dramática bem elevada e se tratando de um que se baseia em fatos reais acho que deve ser impossível não se emocionar. Confesso que não gosto muito de histórias nesse período, fico arrasada e assim, preparo meu psicológico quando resolvo me aventurar nesse gênero. O sal das lágrimas parece ser um ótimo livro e gostei muito da resenha, acho que não o leria imediatamente, mas é uma ótima opção para ler mais a frente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É preciso ter um coração bem forte ou preparar os lencinhos, porque realmente... a leitura é emocionante e muito tocante. Fico feliz que minha resenha tenha despertado o seu interesse. Espero que tenha a chance de ler.

      Excluir
  10. Olá Fabiana!
    Eu não sei qual o meu problema pra gostar de livros desse tema que me deixam devastada depois. São as histórias sobre a Segunda Guerra que me fazem desidratar de tanto chorar, a gente cria esperanças, se envolve com os personagens só pra depois sofrer junto com eles. Apesar disso acredito que todos deveriam ler sobre o tema pra disseminar a mensagem de quanta destruição a sede de poder e um cara maluco governando um país pode causar. Desde o lançamento quero ler O Sal das Lágrimas, espero poder fazer isso em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre fico com a mesma sensação após a leitura de livros da segunda Guerra. É inevitável se apegar aos personagens. Eu gostei muito dessa leitura e espero que você tenha a chance de ler e adorar também.

      Excluir
  11. Olá Fabiana!
    O que torna a obra ainda melhor é o fato de a autora usar um acontecimento real para a composição da história, fazendo com que o leitor rapidamente desperte empatia pelos personagens. Sepetys parece ter um talento natural em usar uma característica em comum para tecer uma história cheia de personagens fortes e que entregam uma mensagem de de manter a esperança e a resiliência frente às adversidades da vida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro quando os autores usam acontecimentos reais para contar essas histórias. O coração fica apertadinho e conseguimos conhecer mais sobre tudo que aconteceu no passado. E há muitas mensagens no decorrer da leitura.

      Excluir
  12. Oi, Fabiana!
    Sou uma manteiga derretida que sempre evita ler livros fortes que sei que me farão ficar com uma ressaca literária, por isso não leio livros que se passam durante guerras, ainda mais sendo O sal das lágrimas baseado em fatos reais... por isso eu não leria esse livro. Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre difícil mesmo ler livros ambientados na segunda Guerra, mas acredito que são leituras importantes. Espero que um dia consiga ler. Garanto que não irá se arrepender!

      Excluir
  13. Olá! Apesar de chorona irremediável que sou, eu não consigo não gostar de livros que tenham a segunda guerra como pano de fundo. Geralmente gosto muito de cada um que leio. Este livro parece mesmo ser emocionante, e o fato de trazer versões diferentes desse horror, promete deixar a dinâmica ainda mais acentuada. Trazer esse desastre do navio, aposto que contribuiu ainda mais para ser emocionante. Acho que todo mundo, em algum momento deveria ler um livro que traga esse tema. Não devemos nunca esquecer até onde a crueldade humana pode chegar e os males horríveis que ela é capaz de produzir. Parabéns pela resenha!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o seu comentário. Concordo com tudo que você expressou e concordo perfeitamente que todos deveriam ler um livro com esse gênero em algum momento da vida.

      Excluir
  14. Oi Fabiana.

    Eu não conhecia este livro e gostei das informações que deixou sobre ele, especialmente sobre a escrita da Ruta que é muito boa e real. Confesso que despertou meu interesse para conhecer essa história detalhadamente. Vou adicionar na minha lista de desejados. Obrigada pela dica.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado. Espero que tenha a chance de ler este livro e se encantar, assim como eu.

      Excluir
  15. Oi, gostei muito de conhecer esse livro pelo seu post. Me interesso por histórias que tenham a segunda guerra mundial como pano de fundo e pela resenha essa é uma narrativa muito marcante e tocante, já quero ler também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que todos os livros com a premissa de segunda Guerra acabam sendo marcantes, né? Você com certeza vai se apaixonar por este livro.

      Excluir
  16. Eu gosto de enredos que se passam durante a segunda guerra, pois realmente esse cenário de horror acaba tocando nossos sentimentos durante a leitura. Ainda mais quando sabemos que foi inspirado ou baseado em histórias reais. Gostei de todos os detalhes da narrativa, parece ser uma escrita cativante. A capa é linda. Dica anotada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito emocionante! Garanto que você não vai se arrepender.

      Excluir