sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

RESENHA | O que há de estranho em mim, de Gayle Forman

O que há de estranho em mim” é um livro escrito por Gayle Forman, a mesma autora de “se eu ficar”, e foi publicado pela Editora Arqueiro em 2016. Este livro foi uma das melhores leituras de dezembro: cheio de lições e aprendizados!

Gayle Forman


O ENREDO

Neste livro nós vamos conhecer a vida de Brit: uma adolescente de 16 anos que está sofrendo pela doença de sua mãe, que precisa lidar com a sua madrasta, com o sentimento do primeiro amor e com o sucesso da sua banda.

Gayle Forman
Tudo muito comum para uma adolescente, não é mesmo? Mas com o caso de esquizofrenia de sua mãe, o pai de Brit tem medo que isso aconteça com ela. Para ele, ela está se tornando uma adolescente tatuada, com piercing e rebelde por conta dessa doença que pode ser hereditária.



Porém, sem pensar muito sobre o assunto, ele toma a decisão de leva-la para uma clínica. A clínica é chamada de Red Rock e é bastante conhecida, porém todos só conseguem ver a fachada, o que a mesma quer passar, mas ninguém sabe tudo o que acontece lá dentro.

Determinado a buscar uma cura para Brit, ela é deixada para este tratamento. Tudo acontece de forma gradativa, aumentando de nível conforme o bom comportamento e rebaixando de nível quando não segue as regras. Tudo isso só irá reprimir os sentimentos de nossa personagem.


"Só então me dei conta que devemos valorizar quem se preocupa com a gente. Isso é algo muito especial, que de uma hora para outra pode sumir." (pág. 31)

A PERSONAGEM

A Gayle cria uma personagem que, apesar de enfrentar todos os problemas, ela não é aquela personagem que fica reclamando de tudo a todo instante. Percebemos o quanto ela sofre calada e isso é um dos motivos que o pai de Brit procurou ajuda.



Mesmo ela permanecendo isolada assim que entra nessa clínica, ela acaba conhecendo outras garotas, de outros níveis, e que se encontram em uma situação semelhante que a sua: os pais acham que elas precisam de cura, seja por ela ser gay ou seja por gostar demais de homem. Todas começam a compartilhar seus medos e receios entre si.

O que me conquistou infinitamente foi a força da amizade que Brit e suas quatro amigas (V, Bebe, Martha e Cassie) possuem. Isso só mostra que, em momentos difíceis como esse, a amizade pode ser uma fortaleza, pode ajudar a superar qualquer obstáculo. Isso foi uma das lições mais lindas que a personagem apresentou neste livro.


"Sabia muito bem como uma decepção era capaz de corroer por dentro até o momento em que a gente acaba explodindo." (pág. 95)

Gayle Forman

A NARRATIVA

Já sou fã da escrita da Gayle Forman desde quando li “se eu ficar”. Após tantos outros lançamentos e ver a autora até mesmo se aventurar em uma personagem mais velha como em “quando eu parti”, percebi que ela é capaz de escrever qualquer tipo de personagem, mas que adolescentes é o seu forte.



O livro tem uma narrativa simples, com capítulos pequenos e que prende o leitor desde o início. Podemos vivenciar junto com Brit todos os obstáculos que ela passa, todos os ensinamentos, o vínculo dela com as amigas e faz até mesmo o leitor se sentir parte desse grupo. É uma ligação forte entre o livro e quem o lê.

Acredito que se o objetivo principal da autora era capturar o espírito da amizade e a angústia dos adolescentes, ela fez isso com perfeição!


"É que a gente acha que a loucura e a sanidade ficam em lados opostos de um oceano, mas na verdade não passam de duas ilhas vizinhas." (pág. 194)

FINALIZANDO...

O livro me trouxe diversas emoções: uma hora estava sorrindo por Brit declarando seu amor; outra estava sofrendo com ela e suas amigas sobre o porquê estarem passando por momentos como aquele.


Gayle Forman

Uma dica: após finalizar a leitura, leia a nota da autora. Você entenderá o porquê ela decidiu escrever uma história como essa e vai sentir, ainda mais, toda a emoção e mensagem que a mesma quis passar no decorrer da leitura. Vale a pena.

O que há de estranho em mim” é um livro que precisa ser sentido!


"Não existem madrastas malvadas, não existem fadas madrinhas, não existem príncipes encantados. Não existe um destino predeterminado. É você que manda no destino. É você que decide o que faz." (pág. 195)


+ Concorra a um vale de R$ 30,00 na Amazon. Saiba como!

Avaliação: 4,5/5 ❤ - SKOOB
Título original: Sisters in Sanity
Escritora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Lançamento: 2016
Gênero: romance / drama

SINOPSE
Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.
   Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.
   Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

26 comentários:

  1. Excelente Resenha!
    Eu sempre quis ler esse livro, mais ainda não tive a oportunidade. Amei esse última frase que você colocou.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! <3
      Esse livro é incrível. Me conquistou em diversos pontos. Espero que você leia também e ame a história.

      Excluir
  2. Amei a resenha
    Só vejo elogios sobre esse livro, mais não li ainda.
    Futuramente pretendo mudar isso.

    ResponderExcluir
  3. Desde que foi lançado esse livro, eu tenho muita vontade de ler ele.
    Não sei o porquê de acabar sempre adiando :/
    Mas agora vou ler sim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre adiei a leitura deste livro. Confesso que, apesar de amar muito a escrita da Gayle, eu tinha certo receio com este livro, mas... foi uma leitura INCRÍVEL! Espero que você leia e goste também.

      Excluir
  4. Oi Fabiana, tudo bem? Acredito que seja uma história de lições e bastante intrigante, mas tem algumas coisas que me deixam apreensiva na trama e me desmotivam a ler, como o pai levar a menina e tomar a decisão de deixa-la lá sem escutar o que ela tem a dizer, ficar presa em um lugar contra a vontade, enfim... essas coisas me angustiam bastante, mas pela resenha foi uma ótima leitura.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me senti muito agoniada durante a leitura por esse fato também. Mas conforme a Gayle ia narrando e o vínculo que ela criou com outras meninas naquele lugar, foi ótimo e fez a leitura ser muito boa. Quem sabe você leia e goste também. Torcendo para isso!

      Excluir
  5. Ah, eu amo a escrita da Gayle.
    Quero muito ler esse livro, ele é bem curtinho né.
    O tema é muito interessante, espero ler e sentir.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem 200 e poucas páginas. Realmente é bem curtinho, com capítulos curtos também e prende o leitor do começo ao fim. Se você gosta da escrita dela, com certeza vai adorar este livro! Espero que goste muito da leitura.

      Excluir
  6. O livro tem uma premissa mto interessante e que me deixou curioso. Gosto de histórias que possuem uma carga psicológica forte e que têm a capacidade de despertar inúmeras reações emocionais no leitor. Sua resenha mostrou que a obra se encaixa perfeitamente nesses aspectos. Assim que tiver a oportunidade, darei uma chance a essa leitura, com certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que minha resenha tenha passado perfeitamente o que eu esperava!
      E sim, o livro tem uma carga emocional e muitas coisas para refletir após finalizar. Espero que tenha oportunidade de ler este livro. Não vai se arrepender!

      Excluir
  7. Oi, Fabiana!
    Revoltante o que o pai da Brit fez, hein, internando-a nessa clínica... Deve ser angustiante acompanhar Brit e suas quatro amigas vivendo na clínica, mas ao mesmo tempo deve ser emocionante acompanhar o surgimento da amizade entre elas.
    Gosto bastante da escrita da Gayle Forman, dela li Se eu ficar, Para onde ela foi, Apenas um dia, Apenas um ano e Apenas uma noite, esses três últimos eu confesso que não gostei tanto... Mas pretendo ler O que há de estranho em mim assim que possível.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi realmente algo difícil de superar, ainda mais algo vindo de um pai! Mas, ao mesmo tempo, a autora mostrou a força e a importância da amizade. Isso me conquistou bastante!
      Confesso também que li "apenas um dia" e não gostei. Tenho curiosidade em continuar essa trilogia, mas talvez em outro momento.

      Excluir
  8. Olá Fabiana!
    Nuca li nada da autora mas logo pude perceber que você é uma grande fã dela. O tema abordado no livro é bem interessante pois mostra uma família problemática e um pai que ao invés de dialogar com a filha, interna a menina numa clínica para resolver o "problema". Acho essa atitude revoltante. O poder da amizade é o ponto forte do livro pois Brit deve ter se sentido aliviada ao encontrar compreensão e carinho em suas amigas. Não é um livro que despertou o meu interesse logo de cara mas não descarto a possibilidade de lê-lo um dia.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou fã da autora mesmo hahaha e sim, o livro traz diversas mensagens e para mim, a mais importante, foi a força e a importância da amizade. Uma pena que o livro não tenha te interessado tanto, mas se um dia der uma chance, me conta como foi a experiência? :)

      Excluir
  9. Olá Fabiana!
    Já vi que para ler essa obra é necessário estar com a caixa de lenços ao lado, visto que trata-se de uma narrativa bastante emocionante. A autora parece demostrar uma capacidade natural para abordar esse tipo de tema, sendo que nada passa a impressão de superficialidade ou exagero. Além disso, essa ênfase da importância da amizade para superar uma adversidade é bem expressiva, deixando o leitor com uma grande reflexão a ser feita.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro precisa mesmo de uma caixinha de lenços para acompanhar. E, sem dúvidas, a autora traz muitas reflexões durante a leitura. Com certeza é um livro para levar para a vida!

      Excluir
  10. Acho Gayle Forman mórbida demais... nunca li nada da autora, mas quanto mais leio resenhas menos quero ler os livros. Tudo no livro remete a total falta de informação desse pai pq, né, que,m deveria estar estar numa clínica era ele. Algumas doenças são, sim, hereditárias, mas a manifestação não ocorre do nada. Dá pra entender o medo dele quanto a saúde mental dela, mas apoio seria muito bem mais vindo nessas horas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo o seu comentário e a revolta haha eu também não consigo entender o que se passou na cabeça do pai da personagem em agir dessa forma, mas me fez pensar: será que muitas pessoas não agem assim na vida real? Muitas pessoas enxergam "problemas" em coisas tão naturais que é difícil acreditar. Por isso o livro foi uma das melhores leituras e me tocou profundamente.

      Excluir
  11. Oi Fabiana.

    Eu tenho dois livros da Gayle aqui em casa, mas ainda não li. Quando comprei se eu ficar e para onde ela foi por causa de uma resenha que elogiou bastante a escrita da autora, mas fui adiando a leitura e acabou ficando de lado. Este ano comecei lendo apenas livros que tenho em casa e pretendo continuar assim durante o ano. Será uma ótima oportunidade de conhecer a escrita da autora. Seu eu gostar vou adicionar este livro que você resenhou. Gostei das informações que deixou sobre a história. Obrigada pela dica.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você ame a escrita da Gayle. Confesso que sou apaixonada pela escrita da mesma e garanto que você irá se apaixonar pela autora. Fico feliz que tenha gostado da minha resenha e espero, também, que leia este livro. Ele é melhor que "se eu ficar".

      Excluir
  12. O que eu gosto na autora é a forma como ela coloca os personagens lidando com diversas doenças mentais e emocionais esse livro não foi diferente e foi uma das minhas leituras favoritas dela só perdendo apenas para eu estive aqui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei de "eu estive aqui", mas esse livro me despertou muitas emoções e eu gostei muito mais dele. É incrível a forma como a autora consegue relatar assuntos tão delicados de um jeito mais "leve".

      Excluir
  13. Eu amei Eu Perdi o Rumo e tava doida pra saber mais sobre esse outro livro! Curti muito que ele é bem rapidinho também

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você vai amar esse livro, então, assim como os outros da Gayle! Eu super recomendo.

      Excluir