Resenha | Tudo que a gente sempre quis, de Emily Giffin

Você já imaginou como seria sua vida se uma foto sua vazasse na internet em um momento frágil? Em “tudo que a gente sempre quis”, publicado em abril pela editora Arqueiro, conhecemos o dilema de Lyla e como sua vida mudou totalmente após o ocorrido.

Emily Griffin



O ENREDO

Nina é uma mulher casada com um grande membro da elite de Nashville. Tem a sua vida como sempre sonhou: vive em uma grande casa, cheia de glamour, com seu marido e agora uma grande alegria em saber que seu filho foi aceito na universidade de Princeton.

Porém, há sempre aquele ditado que dinheiro não é tudo para trazer felicidade, não é mesmo? E esse é um dos questionamentos que ela começa fazer, principalmente se ela deixou seus valores de lado após o casamento, afinal, cresceu em uma pequena cidade e teve sua família sempre ali por ela.



De outro lado temos Tom: um pai solteiro, trabalhando arduamente para criar a sua filha, Lyla. O fato de Lyla ter ganhado uma bolsa de estudo em uma das melhores escolas do ensino médio da cidade, aliviou bastante as preocupações financeiras.

Emily Griffin
Mas o problema é que Lyla sente que não se encaixa perfeitamente no meio de tanta riqueza e privilégio de todos os alunos daquela escola. Filha de brasileira, ela é aquela típica adolescente reservada e foge de todos os assuntos da cidade.

Só que a vida dela muda quando uma fotografia sua em um momento de embriaguez em uma festa é espalhada pela internet. Opiniões e comentários maldosos começam a surgir, até que essa informação chega ao seu pai.

Esse seria o maior de seus problemas? Não. O garoto que disparou essa informação é aquele garoto por qual sempre foi apaixonada e ela achava que ele não a notava e esse garoto é aquele que está prestes a entrar em Princeton; esse garoto é Finch, filho de Nina.

"Pior do que lamentar decisões do passado é sofrer com o que está por vir." (pág. 255)

OS PERSONAGENS

Em “tudo que a gente sempre quis” conhecemos o ponto de vista de Nina, Lyla e Tom. É bem perceptível como nos capítulos de Nina e Tom, toda a situação abordada da foto divulgada é narrada de uma forma adulta, pois são dois adultos cuidando da situação que envolve seus filhos. Já nos capítulos de Lyla temos a personagem tentando agir com o coração, acima de qualquer razão.

Não nego que essa parte de Lyla tentar agir com o coração em muitos momentos me deixou um pouco frustrada, afinal, ela passou por cada situação complicada por conta de uma foto e ainda assim ela queria deixar os sentimentos tomarem conta dela.

De qualquer forma, é perceptível como Lyla tem um coração enorme e busca ajudar o próximo. Toda essa compaixão também vemos em Tom, mas principalmente em Nina. São personagens que realmente valem a pena conhecer e ser conquistada por cada um.

Emily Griffin

A NARRATIVA

Quando solicitei esse livro para a editora Arqueiro, confesso que fiquei um pouco receosa, pois já havia lido outros dois livros da autora (sendo um que gostei e outro não), então pensei “por que não arriscar?”, aliás, a premissa é diferente e atual. Então deixo aqui relatado: ainda bem que solicitei!

Pela primeira vez posso dizer que a autora Emily Giffin me surpreendeu do começo ao fim! O livro traz tramas familiares, problemas adolescentes e até mesmo suicídio. Tudo contado de uma forma que a leitura ficou completamente fluída, mas em nenhum momento pesada.



Foi incrível ver a forma como a escrita da autora evoluiu desde o primeiro livro que li. Ela fez com que eu me sentisse dentro do contexto apresentado, que vivesse todas aquelas emoções e conflitos e sentisse vontade de participar daquela estória, gritar com os personagens e mostrar as mentiras estampadas em cada fala.


FINALIZANDO...

Emily Griffin­­“Tudo que a gente sempre quis” é aquele livro que vai falar sobre os  laços familiares, a importância da honestidade, de assumir seus próprios atos e pagar por todos eles, e como uma simples foto publicada pode mudar a vida de alguém por completo e afetar mais pessoas em volta.

Se você ainda não leu nada da Emily Giffin, recomendo que comece por este livro. Assuntos atuais, problemas atuais e que você vai se conectar do começo ao fim com o enredo, assim como se sentir parte do enredo.


Avaliação: 5 ❤ - adicione no skoob: tudo que a gente sempre quis
*livro recebido em parceria com a editora arqueiro.

Título original: All we ever wanted
Escritora: Emily Giffin
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Lançamento: 2019
Gênero: chick-lit / romance / drama

SINOPSE
Casada com um membro da elite de Nashville, Nina Browning leva a vida com que sempre sonhou. Recentemente, o marido ganhou uma fortuna vendendo seu negócio de tecnologia e o filho adorado foi aceito em Princeton. No entanto, às vezes Nina se pergunta se ela se afastou dos valores com que foi criada em sua pequena cidade natal.
Tom Volpe é um pai separado que se divide entre vários empregos para criar a filha, Lyla. Ele finalmente começa a relaxar depois que a menina ganha uma bolsa de estudos na escola de maior prestígio de Nashville.
Filha de uma brasileira e de origem menos abastada, Lyla nem sempre se encaixa em meio a tanta riqueza e privilégios, mas, na maioria das vezes, ela é uma adolescente típica e feliz.
Então uma fotografia, tirada em um momento de embriaguez em uma festa, muda tudo. À medida que a imagem se espalha, as opiniões da comunidade se dividem.
No centro das mentiras e do escândalo, Tom, Nina e Lyla são forçados a questionar seus relacionamentos mais íntimos, percebendo que tudo que sempre quiseram talvez não fosse tão perfeito assim.

Resenha | Tudo que a gente sempre quis, de Emily Giffin Resenha | Tudo que a gente sempre quis, de Emily Giffin Reviewed by PS Amo Leitura on julho 02, 2019 Rating: 5

16 comentários:

  1. Nunca iria imaginar que esse livro abordaria esse assunto. não tinha lido a sinopse nem nada antes, mas ja tinha visto um outro livro da autora e pensei que esse seria sobre qualquer outra coisas menos esse assunto... Gostei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já li outros livros da Emily, confesso que esperava na mesma pegada e estava com medo de me decepcionar, mas esse me surpreendeu e muito! Garanto que você vai gostar.

      Excluir
  2. Preciso voltar a ler os livros da Emily.
    Ela traz histórias muito reais, e eu gosto da maneira como ela desenvolve.
    Sua resenha está maravilhosa e convidativa, ainda mais que gostou da leitura.
    Mas sacia minha curiosidade? Qual gostou e qual não gostou?
    Eu só li Questões do coração e amei.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei do jeito que ela narrou tudo nesse livro e fico feliz que minha resenha esteja convidativa hahaha <3 então... eu gostei de "o amor em primeiro lugar" e não gostei de "questões do coração".

      Excluir
  3. Olá que resenha bacana, adorei as fotos e fiquei muito empolgada com o livro, já tinha visto outros post a respeito mais realmente estava postergando a leitura, agora enfim posso adiciona-lo em minha lista de aquisições, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, adiciona mesmo. É uma leitura boa e que vale a pena. Torcendo para você gostar também!

      Excluir
  4. Sempre gosto dos temas que a ela aborda nos livros. Mesmo quando não me conquista tanto no geral, o tema ainda consegue me ganhar. Gostei desses que tem aqui. Família e problemas que qualquer um pode passar. Mais personagens que inspiram aquela vontade de ver tudo dando certo. A Lyla pode frustrar, mas gostei do que ela tem a apresentar no livro e fiquei com vontade de conhecer a fundo essa história. Um livro que conquista do começo ao fim desse jeito tem que ter algo de muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade. Mesmo não gostando muito de "questões do coração", o tema abordado foi bem importante para a trama. Gostei de vivenciar tudo. É uma boa escritora e estou curiosa para os próximos lançamentos.

      Excluir
  5. Não tinha ideia do que ia falar o livro. Achei o enredo interessante e também deve ser bom ter os três pontos de vista diferentes para entender melhor a história.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante, sim. Assim a gente consegue entender mais sobre a história e todos os conflitos com cada personagem.

      Excluir
  6. Amo quando os livros me transportam para dentro da história e achei incrível como a autora através da sua escrita fez você se sentir dentro do contexto, o que me deixou com muita vontade de ler o livro que traz temas tão importantes e atuais.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu realmente me senti na história e isso foi incrível! Garanto que você vai adorar esse livro.

      Excluir
  7. Enquanto lia a sua resenha, estava tentando me lembrar se já li algo dessa autora.
    Esse livro está na minha lista de desejados, gostei da premissa e sua opinião me deixou mais animada para ver o desfecho

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, leu algo da autora? Agora fiquei curiosa hahaha o desfecho desse livro é ótimo! Gostei muito.

      Excluir
  8. Olá! Sua resenha ficou bem completa e senti que passou verdade sobre o livro.
    Fiquei me imaginando no lugar da Lyla e acho que não deixaria me dominar pelo coração depois de tudo. Mas que bom que você curtiu esta leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei pensando na mesma coisa. De qualquer forma, é uma leitura incrível! Acho que você iria amar.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.