Resenha | Sempre teremos o verão (Verão #3), de Jenny Han

Após inúmeros acontecimentos na vida de Belly, em “sempre teremos o verão”, publicado pela Editora Intrínseca, há muitas mudanças e indecisões na vida da personagem, mas algo acontece e muda sua vida para sempre.

*resenha do terceiro livro SEM SPOILER.

Jenny Han


A Trilogia Verão é um misto de emoções.

No primeiro livro (o verão que mudou minha vida) temos uma personagem aproveitando suas férias e descobrindo sobre o primeiro amor; No segundo (sem você não é verão), Belly está mais adulta e tem o seu coração dividido, sem saber por qual caminho seguir; E agora no último – sempre teremos o verão –, parece que ela finalmente deixou todo o passado e suas indecisões para trás.

O final de “sem você não é verão” me fez criar inúmeros especulações e teorias.  A autora faz com que o leitor fique completamente curioso em iniciar a leitura desse último livro para realmente entender o rumo que Belly tomou. Se achávamos que ela tinha seu futuro decidido, estávamos completamente enganados.


E eu o amei como só é possível amar um primeiro amor. É aquele tipo de amor que não tem limites e não quer ter - é estonteante, bobo e intenso. O tipo de amor que só acontece uma vez. (pág. 07)

Quando iniciei a leitura de “sempre teremos o verão”, eu estava repleta de expectativa. Depois de todos os acontecimentos passados, imaginei que Belly realmente tinha decidido o seu destino e finalmente tinha abandonado o passado, assim como todos os dias do verão na casa de Cousins Beach.

Após a sua decisão, Belly precisa enfrentar toda a sua família das decisões que tomou. O problema que seu coração está novamente dividido. Até que ponto devemos deixar o amor do passado tomar conta do nosso presente e mudar a nossa estrutura? Seria possível voltar atrás depois de todas as decisões? Afinal, somos capazes de esquecer o primeiro amor?


Jenny Han

Belly é uma personagem mais adulta, porém sem maturidade.

Apesar de ainda ser uma adolescente na faculdade, Belly tenta agir como uma adulta, porém, isso não acontece. Ela tenta tomar as suas próprias decisões, sem pensar nas consequências e age como se não quisesse ouvir nenhum conselho; como se a vida dela dependesse apenas daquele momento.

De certa forma, eu compreendo as atitudes da personagem. Quem já foi adolescente e passou pela fase do “eu sei de tudo”, sabe bem o que eu quero dizer. Infelizmente achamos que com 18 anos somos capazes de tomar decisões, mas nunca paramos para pensar que algumas delas são importantes e sérias demais e capazes de mudar a nossa vida para sempre.


Mas só porque a gente enterra alguma coisa não significa que ela deixa de existir. Aqueles sentimentos estavam ali o tempo todo. Nunca tinham mudado. Eu simplesmente precisava encarar a realidade. (pág. 46)

Porém, a forma como Jenny Han descreveu todas as confusões de sentimentos de Belly, isso realmente me deixou incomodada. As atitudes de uma adolescente não condiziam com as falas. Era como aquela personagem bem mais nova que conhecemos lá em “o verão que mudou minha vida” ainda não tivesse crescido. Ela realmente agia como se fosse bem mais nova.



Jenny Han

Se Belly estava confusa em relação aos seus sentimentos, imagina eu.

No começo da resenha citei que a trilogia Verão era o misto de emoções e é exatamente assim que devo descrevê-la, pois Belly tem seu coração dividido, todas as emoções a flor da pele, cheia de indecisões e insegurança, e isso a autora soube passar perfeitamente para o leitor.

Em muitos momentos eu não sabia de qual personagem eu gostava mais. Ora eu estava apaixonada por Jeremiah; ora eu estava encantada por Corand. Mas ao mesmo tempo que esse sentimento de amor surgia, o sentimento de raiva também. Algumas atitudes dos personagens realmente chegaram a ser irritantes.


O amor não é algo que se apaga, não importa o quanto se tente. (pág. 209)

Exceto esse fato citado, a trilogia é muito boa. Se eu tivesse que escolher entre essa e a trilogia para todos os garotos que já amei, com certeza escolhia a primeira. Apesar de nessa a autora abordar alguns assuntos importantes, principalmente no primeiro livro, a outra trilogia da autora é capaz de te arrancar mais suspiros.

Jenny Han


Sempre teremos o verão” é aquele livro com inúmeros acontecimentos, sensações, coração partido, sentimentos conflitantes e indecisões. É um livro que vai te despertar muitas emoções durante a leitura; ora vai te fazer amar, ora vai te fazer odiar.

Apesar do final ser bem previsível, confesso que com todos os acontecimentos narrados esperava que fosse diferente. Sabe quando criamos um vínculo com o personagem e torcemos para que tome uma atitude totalmente diferente da qual escolheu? Então. É exatamente assim que me senti após finalizar essa trilogia.


Há momentos na vida que toda garota cuja importância só entendemos tempos depois. Quando olhamos para trás, percebemos: Esse foi um dos momentos que mudaram minha vida, aquelas bifurcações na estrada, e eu nem me dei conta. Eu não fazia ideia. E há momentos que sabemos que são importantes. Que, seja o que for que façamos a seguir, haverá um impacto. Que a vida pode seguir entre duas direções. (pág. 247)

Esse é aquele típico livro para ser lido em apenas um dia, afinal, você não vai conseguir largar até finalmente entender o destino que Belly escolheu seguir.


Avaliação: 4 ❤ - adicione no skoob: sempre teremos o verão

Título original: The Sapphire Widow
Escritora: Jenny Han
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Lançamento: 2019

Gênero: romance / chick-lit

SINOPSE
A vida de Isabel Conklin é marcada pelas férias de verão. As outras estações do ano são como um intervalo, dias que passam lentamente enquanto ela espera que o sol lhe traga de volta o que mais ama: o mar, descanso, diversão e, principalmente, Conrad e Jeremiah Fisher.
Os garotos da família Fisher sempre estiveram ao lado de Belly em suas aventuras. Conrad é ousado, sombrio, inteligente. Já Jeremiah, é confiável, engraçado, espontâneo. Mesmo sendo tão diferentes, os três constroem uma amizade que parece inabalável. Apenas parece...
Tudo muda quando, em uma dessas férias, Conrad demonstra sentir algo por ela. O problema é que Jeremiah faz o mesmo. À medida que os anos passam, Belly sabe que precisará escolher entre os dois e encarar o inevitável: ela vai partir o coração de um deles.


Resenha | Sempre teremos o verão (Verão #3), de Jenny Han Resenha | Sempre teremos o verão (Verão #3), de Jenny Han Reviewed by PS Amo Leitura on julho 26, 2019 Rating: 5

20 comentários:

  1. Oi! Eu nunca li nenhum livro dessa autora ainda, e sinceramente não tenho tanta vontade de conhecer, porque as histórias não se encaixam nos estilos de leituras que eu faço. Apesar disso, eu gosto de livros com adolescentes ou jovens adultos, que estão começando a viver realmente, e o fato da protagonista ainda agir de maneira infantil me incomoda. É uma trilogia pra quem gosta mesmo da escrita da autora. Obrigada pela resenha!


    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito que seja só para fãs da autora, mas entre essa trilogia e a anterior, ainda prefiro "para todos os garotos que já amei". O fato da protagonista não ter amadurecido após diversos acontecimentos foi algo que realmente me incomodou. Mas dê uma chance! Você pode se apaixonar.

      Excluir
  2. Essas capas ficaram bem melhores que as antigas edições neh. Não li essa trilogia, quero muito ler a outra, mas achei uma otima resenha, ainda mais que pontuo a imaturidade da personagem que continua etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a imaturidade permanece, mas exceto isso, é uma boa trilogia. E simmm, as capas estão muito melhores que as anteriores!

      Excluir
  3. Eu não li nenhum dos livros dessa autora, porque sei lá, acho que livros que tão muito hypados não fazem meu estilo.
    Mas fiquei incomodada com o fato de que a personagem não amadurece. Como assim??? Essa é mesmo a proposta da personagem? Ou foi um erro??? Chocada!

    Amei sua resenha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, acho que talvez a autora tentou melhorar a personagem em alguns pontos, mas esqueceu de outros, sabe? Infelizmente foi o único ponto que me incomodou durante a leitura, exceto isso, foi ótima!

      Excluir
  4. Oi, tudo bem? Vi essa trilogia na livraria semana passada e achei as edições a coisa mais linda. A editora caprichou nas capas. Com relação a história mesmo sendo clichê são enredos que nos conquistam e nos faz torcer pelos personagens. É estranho pensar que a personagem não evoluiu ao longo da história. Mesmo assim fiquei curiosa para ler. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente torce (e torce muito) por todos os personagens durante cada livro. Esse fato da personagem foi algo que incomodou um pouco, mas é uma boa leitura. Espero que goste.

      Excluir
  5. lembro que na primeira edição foi um hype enorme na obra e eu fiquei meio tentada meio ''meer'' e agora eu amei as capas e fiquei meio ''amei as capas e quero ler mas acho que nao é boa ideia" kkkk eu adorei a sinceridade da sua resenha, sua abertura as emoções dessa leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As capas realmente despertaram um interesse enorme pelas obras, né? hahaha :x e eu gostei dos livros, apesar de alguns pontos. Espero que você leia e curta também. :D

      Excluir
  6. Eu achei essa capa muito fofinha, daquele tipo que até dá vontade de pegar pra ler, mesmo não sendo o tipo de gênero que não chama minha atenção. Porém vi que ele faz parte de uma série, e eu sequer ouvi falar dos demais. A gente meio que fica alienada fora do nosso eixo, da nossa zona de conforto.
    No entanto, adorei sua resenha e acho que 4 estrelas é uma baita nota. Abraços

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É aquele tipo de livro para ler em um dia, para passar o tempo e sentir diversas emoções de uma só vez com a personagem. É uma leitura válida. Espero que tenha oportunidade de ler :D

      Excluir
  7. Essas duas séries da autora são bem elogiadas e confesso que se eu tivesse um tempinho sobrando e com quem pegar emprestado leria sim. Mas tenho tantos na lista de livros para ler que não tem como agora, quem sabe um dia. Mas amei conferir sua opinião e amei a dica. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) fico feliz que tenha gostado. É uma trilogia que vale a pena conhecer, sim.

      Excluir
  8. Oiii tudo bem??

    Conheço os livros da autora, mas não me atrevi a ler, vi o filme da Netflix da outra serie.
    Parece que o tipo de livro dela não muda muito. E personagens imaturos me tiram do serio, mas mesmo assim ainda pretendo ler. A resenha esta muito boa e sem spoiller como prometeu.
    Adorei
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São adolescentes, né? Então muitos erros são cometidos e às vezes aprendem, outras não. Mas são livros que valem a pena. Espero que dê uma chance.

      Excluir
  9. Eu quero tanto ler esses livros e adorei ver a sua sinceridade ao falar sobre a sua experiência com a leitura, eu acredito que posso gostar da experiência, mas me incomodar com as mesmas coisas que você

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... algumas coisas realmente incomodaram, mas exceto isso, é uma leitura boa e que vale a pena.

      Excluir
  10. Olá, tudo bem? Admito que tenho grandes expectativas para obra, pois li outra trilogia da autora e apesar das ressalvas, gostei. Existe algo que me incomoda na escrita da Jenny Han, mas consigo superar e é mais ou menos no mesmo caminho que você também teve ressalvas nessa obra. Ainda assim isso não tira minha curiosidade, e espero curtir assim como você. Ótima resenha, e sincera.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre tem algumas ressalvas nas obras da autora, né? É uma trilogia boa e vale a pena conhecer. Espero que curta a leitura.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.