Resenha | A guerra que me ensinou a viver, de Kimberly Brubaker Bradley

A guerra que me ensinou a viver” é o segundo livro da duologia “a guerra que salvou a minha vida”, publicado pela Darkside Books e escrito Kimberly Brubaker Bradley, e vamos continuar na trajetória de Ada, com todos os seus problemas, medos, receios e superação.

– RESENHA DO SEGUNDO LIVRO SEM SPOILER –

Kimberly Brubaker Bradley


Ada teve uma infância muito traumática, passando por momentos difíceis e de partir o coração com sua mãe e para somar toda essa carga emocional, a Segunda Guerra estava começando.

Neste segundo livro teremos uma personagem tentando lidar com a sua nova realidade e superar todos os traumas do passado. Ela e seu irmão Jamie agora estão em uma outra casa e Susan é a guardiã legal deles. Esse chalé será um recomeço para todos.

É possível saber um monte de coisas e mesmo assim não acreditar em nenhuma delas. (pág. 09)

Porém, agora além dos três, lady Thorton irá morar com eles. A Guerra ainda está acontecendo e ela precisa de um novo lugar só que como isso não bastasse, eles abrigarão Ruth, uma garota judia e alemã que irá causar desconfiança. Seria alguém infiltrada ou uma aliada?

Kimberly Brubaker Bradley

Eu não sei nem por onde devo começar essa resenha. Quero dizer que “a guerra que me ensinou a viver” é um livro lindo, assim como o primeiro livro. Ele é capaz de conquistar o coração, de trazer esperança, mostrar as inúmeras lições da vida e também aprender a confiar.

Ada sofreu muito no passado e ela tem dificuldade em acreditar que as pessoas são boas e que as pessoas fazem as coisas por amor. É totalmente compreensível quando avaliamos tudo que aconteceu com essa personagem, mas digo que me incomodou a forma como ela agia com Susan.

Não existe certo ou errado. Só existem formas diferentes de pensar. (pág. 127)

Susan é a guardiã dela e de seu irmão, mas fica perceptível em cada capítulo como ela os ama e o quanto ela seria capaz de fazer para que nada acontecesse com eles. É um amor tão genuíno e tão intenso que não consigo descrever. Por isso quando via Ada na defensiva me deixava um pouco incomodada.

Devo dizer que isso aos poucos vai melhorando na narrativa. Percebemos que Ada vai começando a confiar e ela começa a criar um vínculo maior com outras pessoas. Estava na hora dela finalmente entender que existem pessoas boas no mundo. Que o mundo não é somente aquilo que a Guerra está mostrando.

Kimberly Brubaker Bradley

Já que estou falando da Guerra, assim como no primeiro livro, neste também continua como pano de fundo. Em alguns momentos é abordado sobre Hitler e sobre como tudo isso tem deixado Londres, mas o foco principal do enredo está em Ada e tudo que há por trás da Guerra. Um foco diferente, mas que conquista imensamente.

Uma coisa que gostei bastante na narrativa deste livro é que se você leu “a guerra que salvou a minha vida” há um tempo, você não se sentirá perdido na leitura. A autora Kimberly Brubaker Bradley soube como apontar os acontecimentos do livro anterior com uma leveza e que te faz recordar de tudo e confesso que amei essa experiência! Como eu tinha lido recentemente, não tive dificuldade em recordar, mas gostei dessa possibilidade de reviver alguns momentos, afinal, eles são importantes para o contexto dessa segunda obra.


Muitas vezes temos medo de ler uma continuação com medo de não ter a mesma essência ou estragar toda aquela sensação maravilhosa do primeiro livro, mas digo que aqui vale muito a pena ler. Assim como a autora descreve os detalhes e tem uma narrativa maravilhosa, neste segundo ela segue da mesma forma. O leitor é totalmente cativado com o enredo, com a premissa e fica cheio de expectativa para o que vai acontecer a seguir.

Kimberly Brubaker Bradley

Não é um livro sobre a guerra. É um livro sobre amadurecimento e aceitação. Um livro que mostra como Ada precisa aprender a acreditar e não somente em sua família, mas também em si mesma. É um livro que mostra superação e empatia.

O amor não é tão raro quanto você pensa. Podemos amar todo tipo de gente, de todas as maneiras possíveis. E o amor não é de forma alguma perigoso. (pág. 186)

A guerra que me ensinou a viver” é um livro lindo, totalmente emocionante e que te traz esperança. Aborda assuntos delicados com total ternura e mostra como os pequenos gestos são capazes de mudar um dia ou até mesmo alguém.


adicione no skoob: a guerra que me ensinou a viver | 4,5 ❤


Título original: The war I finally won
Escritora: Kimberly Brubaker Bradley
Editora: Darkside Books
Páginas: 280
Lançamento: 2018
Gênero: jovem adulto / Guerra Mundial / drama


SINOPSE
Após uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado. Enquanto tenta se ajustar à sua nova realidade e superar os traumas do passado, ela se muda com Jamie, lady Thorton e Susan — agora sua guardiã legal — para um chalé em busca de um recomeço. Com a guerra se intensificando lá fora, as adversidades batem à porta: o racionamento de alimentos é uma preocupante realidade, e os sacrifícios que todos devem fazer em nome do confronto partem corações e deixam cicatrizes. Outra questão é a chegada de Ruth, uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé. Seria ela uma espiã disfarçada? Ou uma aliada em meio à calamidade? Mais uma vez, Kimberly Brubaker Bradley conquista com sua narrativa carregada de sensibilidade. Seu registro historicamente preciso revela o conflito armado pela perspectiva de uma criança, além de lançar luz sobre a atual crise de refugiados, a maior desde a guerra de Hitler, que já obrigou milhões de pessoas a deixarem seus lares em busca de paz. Discutindo assuntos delicados com ternura, a autora guia o leitor por uma jornada que mostra a beleza dos pequenos gestos. E, ao revelar as camadas de seus personagens, apresenta uma história sobre amadurecimento e aceitação — principalmente para Ada, que precisa aprender a acreditar. Acreditar em sua família e em si mesma. Na resiliência que vem da dor. Na superação que vem do medo. Na empatia, que reacende a humanidade. E no amor, é claro. Em sua forma mais pura e sincera. 

Resenha | A guerra que me ensinou a viver, de Kimberly Brubaker Bradley Resenha | A guerra que me ensinou a viver, de Kimberly Brubaker Bradley Reviewed by PS Amo Leitura on novembro 01, 2019 Rating: 5

14 comentários:

  1. Oi Fabi!!
    Eu faço parte do clube do livro aqui da minha cidade e nós já falamos sobre o primeiro livro, mas eu nem sequer sabia da existência desse segundo haha to atrasado!! Diferente de você eu entendo totalmente toda a desconfiança da Ada no mundo em que ela está vivendo, tendo vivido o que já viveu é muito difícil ser "obrigada" a confiar/acreditar nas pessoas, como você mesma diz com o caminhar da história ela se abre mais, e bom confiança é algo que se conquista não é mesmo? Não se ganha com facilidade. Fico feliz em saber que a autora souber usar de forma coerente os acontecimentos do primeiro livro nessa sequência, espero conseguir ler esse livro também.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você amou o primeiro livro, sem dúvidas vai amar ainda mais esse segundo. É compreensível a atitude que ela toma, sim. Em alguns momentos eu fiquei um pouco "chocada" da forma como ela reagia, mas é possível ver como as coisas mudam no decorrer dos capítulos. Espero que você tenha a chance de ler e se apaixonar também.

      Excluir
  2. Oii tudo bem? As edições dos livros são lindas demais né? Eu preciso ler o primeiro livro que encontra-se parado em minha estante uma vergonha mais já sei que será uma leitura emocionante, adorei saber um pouco mais sobre o segundo e saber sobre suas considerações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que existe o momento certo para ler cada livro, então não é uma vergonha. Espero que você leia em breve e ele te encante também.

      Excluir
  3. Oiieee


    Essa dualogia parece ser linda mesmo, eu acho as edições da Darkside maravilhosas e a trama da Ada, sua superação e luta devem ser emocionantes. Aliá, acho interessante justamente por trazer uma abordagem diferente dos livros que sempre lemos da Segunda Guerra, esse foca mais nos efeitos na Ada, ela é o principal. Acho que trazer todo o conflito através dos olhos de uma criança sempre choca mais, e essa precisão histórica da autora é fundamental. Dica anotada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso que me cativou muito nessa história. A Segunda Guerra está lá, acontecendo, mas toda a trama está em Ada. Isso foi incrível.

      Excluir
  4. Ainda não li nenhum dos dois livros citados, mas só leio resenhas elogiando os mesmo.
    Assim que eu tiver a oportunidade pretendo ler sim, obrigada pela dica.
    Parabéns pela leitura, resenha e foto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha chance de ler e curta. Foi uma leitura muito boa.

      Excluir
  5. Oi Fabiana.

    Tenho muita vontade de ler esse livro justamente por causa do pano de fundo abordar a guerra. Adoro livro com essa temática e sempre despertou meu interesse. Já tenho ele na lista de desejados. Vou tentar adquiri -lo o mais rápido possível. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você já gosta do tema, não tenho dúvida que vai amar essa história. Espero que tenha chance de ler e se apaixonar.

      Excluir
  6. Olá, que bom saber que a autora conseguiu fazer esse segundo livro ser tão bom quanto o primeiro. Eu comprei o primeiro mas ainda não li, preciso mudar isso logo. Amei sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conseguiu, sim. Foi uma leitura muito boa. Espero que você leia e adore também.

      Excluir
  7. Oiii, quero muito ler esse livro, mas confesso que tinha um receio de a autora não fazer uma história tão boa quanto a primeira. Agora, depois de ler sua opinião, acho que vou me jogar na leitura dos dois livros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A autora fez com que esse livro superasse ainda mais minhas expectativas. Uma leitura que vale a pena.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.