segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

[Resenha] Sorrisos quebrados

Já tinha um tempo que eu estava apaixonada pela capa de "sorrisos quebrados" e após ler tantas resenhas positivas - e uma grande oferta na black friday - decidi que precisava desse livro e que precisava lê-lo logo. Então, eu e a Lari do blog Lariteratura fizemos uma leitura conjunta desse livro (para conferir a resenha dela, clique aqui).



"Sinto quando ele se distancia e me deixo cair, colocando a mão na boca para silenciar o choro, mas é impossível. Pela primeira vez em anos, choro sem ser de tristeza." (pág. 43)

Durante muitos anos Paola foi casada com Roberto, o homem no qual ela acreditava ser um príncipe e que era o amor da sua vida. Ele era tão bonito e ela não tinha tanta beleza, não aquela beleza que chamasse a atenção por onde passava. Ela acreditou que tinha sorte por Roberto tê-la notado e por eles estarem casados. Mas, nem tudo é um conto de fadas.

Roberto fazia com que Paola vivesse um relacionamento completamente abusivo: não podia sair com suas amigas, não podia usar determinada roupa, não podia falar sobre sexo, não podia simplesmente nada. Tinha que viver em função de seus desejos. Quando Paola começou a enfrentá-lo e dizer não para as suas vontades, ela ficou completamente dilacerada emocionalmente e fisicamente.


"Nossas expressões podem não ser verdadeiras. Um sorriso pode esconder tristeza ou falsidade. Podemos aparentar apatia, quando, por dentro, estamos vivenciando todos os sentimentos com intensidade, ou fingir tristeza quando é mentira." (pág. 53)


Após lutar infinitamente com esse sofrimento e conseguir escapar dessas violências, Paola internou-se em uma clínica para que os estragos em sua mente fossem recuperados aos poucos, já que tudo que aconteceu em seu corpo serão cicatrizes de um tempo que jamais poderia ser refeito e que viveriam para sempre com ela. Lembranças de tempos ruins.

Paola buscou conforto na arte. Então, em um certo dia na clínica, ela encontra André que está sempre no local acompanhando sua filha, a Sol. Ao contrário de todos que fazem cara de espanto, nojo ou até mesmo choram quando a olham, Sol sentiu uma conexão logo de cara com Paola e sentiu que aquela garotinha podia lhe trazer cor e alegria a sua vida.


"O amor não dói. O amor não nos faz sofrer. O amor não nos machuca, não nos amedronta. Amar não provoca lágrimas de tristeza." (pág. 70)

Apesar do medo de falar com outro homem por tudo que viveu em seu passado, Paola vai aos poucos se esforçando para se aproximar porque tudo que ela queria era que Sol permanecesse em sua vida, mas o que ela não sabe que, assim como ela, André e Sol também possuem cicatrizes, elas só não ficam expostas.

Até que ponto o medo pode ser superado? Em qual momento a vida voltará a ser colorida e cheia de vida?



Logo no prólogo a autora Sofia Silva já traz um choque para a realidade que muitas mulheres vivem ou viveram na vida: a agressão, a violência. Eu confesso que não esperava que o livro fosse abordar um tema tão pesado logo assim no começo. Foi um choque, mas ao mesmo tempo me despertou uma vontade ainda maior de conhecer Paola e saber como seria sua vida daquele momento obscuro em diante.

Quando os personagens André e Sol aparecem na história, isso só me deixou ainda mais feliz pela personagem por saber que Paola criou um enorme vínculo com a pequena criança e que nesses raros momentos em que elas estavam juntas, é onde Paola conseguia sorrir novamente. Isso foi de partir o coração e ao mesmo tempo de alegrá-lo.


"Comecei a aprender a amar quem sou, mas é difícil quando, durante muito tempo, não nos amamos e não fomos amados." (pág. 123)

O que mais gostei do livro foi o modo como a autora soube fazer com que o leitor vivenciasse junto com a personagem todos os momentos de sua vida: momentos trágicos, pequenos momentos de alegria, momentos de desespero, momentos de luta contra seus medos. E não foi só isso, a personagem se mostrou completamente forte apesar de todo trauma lhe causado no passado. É difícil imaginar alguém sofrendo tanto quanto ela e ainda sendo capaz de seguir com a vida.

Mas como a história também não fica baseada apenas em Paola, pois há capítulos narrados pelo André, nós também conhecemos seus medos. Não é nada comparado com o que Paola sofreu, porém faz todo sentido o que ele abriu mão por alguém. O que ele fez em nome do amor é o que poucos caras seriam capazes de fazer na vida por outra pessoa. Realmente é bem intenso conhecer o lado dele na história.


"A vida é um labirinto onde todos tentamos localizar a saída e onde poucos têm a sorte de encontrar o parceiro ideal para a aventura que é viver. Alguém que não solta a nossa mão quando erramos na escolha do caminho ou porque não temos mesmo vontade de acertar, pois percebemos que mais importante do que localizar a saída é conhecer o labirinto." (pág. 128)

Apesar de tudo, as únicas cenas que me incomodou um pouco na leitura foram as cenas sexys (bem sexy mesmo!) abordadas em alguns capítulos. Exceto isso, o livro tem uma leitura completamente fluída e fácil, cheio de frases reflexivas e intensas. Tem romance, amizade, confiança e mostra que precisamos aproveitar cada momento da nossa vida e que nada, nem ninguém, deixe que a luz que brilha dentro de nós se apague.

"Sorrisos quebrados" é aquele livro que você e todo mundo precisa ler. Ele traz grandes lições e emoções. Um livro capaz de te arrancar diversas lágrimas, partir seu coração ao meio, mas depois será reconstruído. Deixe que sua vida seja preenchida com cores através desse livro maravilhoso.





Avaliação: ❤❤❤❤❤



Título original: Sorrisos quebrados
Escritora: Sofia Silva
Editora: Valentina
Ano de publicação: 2017
Páginas: 232
Gênero: Drama / erótico / ficção / literatura estrangeira / romance


SINOPSE | SKOOB
"Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano."

4 comentários:

  1. Oi!
    Eu gostei muito da leitura, e tbm amo essa capa!
    Tbm tenho essa pequena ressalva sobre as cenas sexys, rsrs
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas essa ressalva, porque de resto, o livro é sensacional! A escrita da autora me surpreendeu do começo ao fim e não esperava que o livro abordasse um tema tão intenso como ele. Amei muito!

      Beijos.

      Excluir
  2. Oiiii!!!!

    Primeiramente, a capa desse livro é um arraso! Precisava falar isso.
    Achei demais saber que é daqueles livros que transporta o leitor para a vida do personagem literalmente, nos fazendo sentir suas dores, angústias, medos e alegrias, é ótimo se sentir imerso dessa maneira na história. Não sabia que o livro tocasse em temas tão profundos como a violência contra a mulher, um tema bem necessário mesmo atualmente. Legal saber que a autora via sem rodeios, lancando o tema no leitor logo de primeira.

    Beijos

    De repente, no último livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também confesso que não imaginava a intensidade desse livro. Quando comecei a ler, confesso que fui surpreendida, mas de uma forma chocante e boa, sabe? Eu adorei a escrita dela e o modo como ela narra todos os acontecimentos. Acho que todos deveriam ler esse livro!

      Beijos.

      Excluir