segunda-feira, 6 de novembro de 2017

[Resenha] E viveram felizes para sempre (os Bridgertons #9)


Título original: Happily Ever After
Escritora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano de publicação: 216
Páginas: 256
Gênero: Ficção / romance / literatura estrangeira




























Eu não acredito que depois de tantos meses com essa família eu cheguei ao final dessa estória tão maravilhosa e apaixonante. Alguns Bridgertons não me conquistou tanto quanto eu esperava, mas alguns... Ah, me fez suspirar e amar ainda mais.

Após ler tantas resenhas positivas em relação aos livros da Julia Quinn, decidi que do meio do ano até o final seria o meu momento de conhecer a escrita da autora e preciso dizer: não me arrependo! Foram vários meses e diversas risadas, suspiros, alegrias e amor com essa família. Se estou nostálgica escrevendo essa resenha? Provavelmente.

Mas o que dizer do último livro da série? “E viveram felizes para sempre” é um presente para todos. Julia apresenta um segundo epílogo para cada livro e ainda um conto especial para a mãe mais adorável da literatura: Violet.

Antes de começar definitivamente essa resenha, alguns acontecimentos são citados na própria sinopse, mas de qualquer forma, pode ocorrer algum spoiler do final de cada livro da série – aliás, esse livro é um segundo epílogo.


O duque e eu: com o final desse livro, Simon recusa aceitar o pacote de cartas deixadas pelo seu pai. Daphe guardou para que, se um dia, ele mudasse de ideia. E foi nisso que Julia decidiu escrever esse epílogo;

- O visconde que me amava: com um jogo clássico da família Bridgerton, Pall Mall, a autora sabia que não poderia deixar de lado esse momento dos epílogos e nada como esclarecer isso onde tudo ocorreu de forma divertida, não é mesmo?

- Um perfeito cavalheiro: para quem já leu a série, sabe que esse livro foi inspirado em Cinderela. Como ela já teve o seu final feliz, mas a sua meia-irmã, Posy, a boazinha da história também merecia um final feliz, não acham?

"Sophie Bridgerton sabia uma ou duas coisas sobre o amor à primeira vista. Um dia, ela mesma fora atingida por seu famoso raio e tomada por uma paixão de tirar o fôlego, uma felicidade inebriante e um formigamento estranho por todo o corpo." (p. 1314)

Os segredos de Colin Bridgerton: nesse livro conhecemos finalmente quem é a Lady Whistledown e uma Bridgerton não sabia até então. Mas o segredo uma hora deveria ser contato para ela, não é mesmo?


"Vemos melhor algumas coisas quando paramos para pensar a respeito." (p. 1957)

- Para Sir Phillip, com amor: o que mais ganhou destaque nesse livro, além de Eloise e Sir Phillip, foram as crianças Amanda e Oliver. Então nada como mostrar uma Amanda adulta e apaixonada, e não mais aquela criança terrível;

- O conde enfeitiçado: uma história de amor repleta de emoções e com um final que todos desejavam mais. Afinal, Francesca teve o seu sonho de ser mãe realizado?

Um beijo inesquecível: o final desse livro foi vago. Hyacinth passou tanto tempo procurando por aquelas jóias e uma hora ela teria que encontrá-las, mesmo que isso levasse anos. Certo?

"Embora Hyacinth fosse sempre a favor de uma mulher ter opiniões, era ainda mais a favor de uma mulher que sabia quando compartilhar tais opiniões." (p. 2904)

- A caminho do altar: com um final repleto de felicidade e crianças nascendo, afinal, quais eram os nomes daquelas crianças? Mas nem tudo foi perfeito: houve momentos difíceis e que os Bridgertons achavam que jamais iriam superar.

"Esperava por um amor cheio de paixão e drama e não lhe ocorrera que o verdadeiro amor podia ser algo totalmente confortável e fácil." (p. 3487)


E como eu disse anteriormente, há o conto “o florescer de Violet” que é,
como o próprio nome já diz, baseado em Violet. Conhecer um pouco mais dessa personagem incrível foi ótimo; saber um pouco sobre sua infância, adolescência e até mesmo como conheceu Edmundo... foi bastante prazeroso e me deixou com um sorriso ao chegar na última palavra.

Realmente finalizei “e viveram felizes para sempre” completamente feliz. Acho que Julia Quinn cumpriu perfeitamente a trajetória da família Bridgerton. Se em algum livro senti falta de algo no final, a autora esclareceu perfeitamente todas as “pontas soltas”.

Esse livro realmente é para deixar o leitor com saudade de uma família queridíssima como essa e completamente nostálgico. Afinal, como não se encantar com a inocência de Daphe? Como não adorar o jeito “durão” de Anthony? Como não suspirar sem parar por Benedict? Como esquecer o apoio e a surpresa de Colin? Como não ficar brava com as atitudes de Eloise? Como não desejar um final feliz para Francesca? Como não rir da “língua afiada” de Hyacinth? E claro, como não achar Gregory completamente persistente?

É isso. Não há mais o que dizer sobre essa série. Se eu queria mais? Com certeza sim. Afinal, quem não gostaria de conhecer sobre outros personagens, não é mesmo? Julia Quinn foi meu primeiro contato com romance de época e preciso dizer que fiquei encantada. Agora quero ler tudo relacionado ao gênero (me indiquem!). Então posso dizer que foi uma ótima experiência e com certeza reviveria tudo de novo. 



Avaliação: ❤❤❤❤❤


SINOPSE | SKOOB
"Alguns finais são apenas o começo...
   Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos...
   Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.
   Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?
   A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton."


Acompanhe o blog em outras redes sociais: Facebook | Instagram 

2 comentários:

  1. Olá. Tudo bem?
    Obrigada por sua visita ao Doces Letras.
    Adorei seu cantinho e espero voltar por aqui mais vezes.
    Eu amo romances de época e históricos, são minha leitura preferida. Amei esta série e como recomendação, além dos livros da Julia Quinn, te convido a conhecer Sarah MacLean, Maya Banks, Babi A. Sette, Eloisa James e tantas outras autoras talentosas do gênero.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhh bate uma nostalgia quando a gente chega no fim da série! Eu amei todos os epílogos, mas o da Violet é o melhor! Dá até vontade de reler tudo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir