Resenha | Sombria e solitária maldição (Cursebreakers #1), de Brigid Kemmerer

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Sombria e Solitária Maldição, lançamento de abril da Plataforma21, vai nos apresentar uma história totalmente viciante, envolvente e cheia de mistérios que somente Harper será capaz de quebrar o feitiço.

sombria e solitária maldição



O reino de Emberfall está sob ameaça.

O príncipe Rhen foi amaldiçoado por uma poderosa feiticeira. Ele foi condenado a repetir seu aniversário de dezoito anos por sucessivos outonos. Com a chegada de cada estação, ele se transforma num monstro, onde não tem consequência de seus atos e acaba destruindo tudo que está em sua frente e há apenas uma maneira dessa maldição ser quebrada: ele precisa encontrar uma garota e ela precisa se apaixonar.

Por outro lado, conhecemos Harper que nunca teve uma vida simples. Nasceu com uma restrição de movimento causada por uma paralisia cerebral, seu pai abandonou a família há muito tempo, sua mãe está morrendo e seu irmão assumiu todas as dívidas deixadas pelo seu pai e isso o colocou em uma tremenda enrascada. Porém, ela não esperava que quando fosse salvar a vida de uma desconhecida em Washington, ela seria atraída para um reino distante e encantado.


Às vezes isso é pior - quando a dor é pura magia. Magia leva mais tempo para curar. (pág. 59)

Sem entender onde está, ela terá que conviver com Rhen nessa terra amaldiçoada. Ela descobrirá todos os segredos e tudo o que assombra aquele local, assim como ele encontrará esperança ao encontrá-la. Só que eles precisarão se unir, deixar as diferenças de lado, pois forças poderosas se erguem em Emberfall e será necessário quebrar a maldição para salvar todo o reino e a si mesmo.

sombria e solitária maldição


Uma releitura maravilhosa!

Você deve ter percebido a semelhança com A Bela e a Fera, né? Pois é. Sombria e Solitária Maldição é uma releitura muito bem escrita da Brigid Kemmerer. Ela soube como criar um universo cheio de fantasia, mistério, aventura, com cenas eletrizantes e de tirar o fôlego. Confesso que por ser uma releitura, estava receosa de não gostar, mas eu me vi tão envolvida no enredo que foi impossível não me apaixonar!

A cada capítulo eu queria saber mais do que iria acontecer e não conseguia parar de ler. É uma leitura que conquista logo na primeira página e instiga muito a continuar. E, sem dúvidas, aos fãs de fantasia, essa obra vai conquistar imensamente e de uma maneira indescritível.


Não sei o que dizer. Uma coisa é sentir empatia... outra, bem diferente, é demonstrar. (pág. 120)
Apesar de ter amado muito esse livro, ressalto que fiquei confusa em alguns momentos, principalmente com a aparição da feiticeira, e quando Harper ganha um grande título de uma forma rápida. Exceto isso, o livro é perfeito, com um enorme plot twist.


Amor. Eu nunca me apaixonei por ninguém, muito menos por alguém que me pegou na rua. (pág. 139)

sombria e solitária maldição

Cenários e personagens bem construídos.

O cenário que encontramos neste livro é único. A forma como a autora narrou cada acontecimento, cada pedacinho da cidade Emberfall e de todos os locais por quais Rhen e Harper passaram, fez com que eu visualizasse perfeitamente a cena e me sentisse parte da história. Acho que isso é um ponto super positivo para a obra, afinal, é muito difícil um livro de fantasia me conquistar dessa forma.

Assim como os personagens. Brigid fez com que Harper, apesar da sua paralisia - que confesso, não percebi isso no decorrer da história -, fosse uma personagem forte, destemida e pronta para a guerra. É aquela personagem que, independente do contexto no qual se encontra, está pronta para tudo.


Quando eu era pequena, ela me dizia que todos temos uma faísca dentro de nós, e nossas faíscas podem se encontrar, não importa onde estejamos. (pág. 194)
Temos também o Rhen. Eu me identifiquei com ele logo de cara e achei que a autora soube como trabalhar as suas características. Em alguns momentos, é perceptível como ele é um personagem totalmente oposto da Harper, mas que quando começa a conviver com ela, faz com que se sinta diferente e até mesmo, começa a mudar suas características - e de uma forma super positiva.

Os personagens secundários também ganham vida nessa história. Cada um de uma maneira, mas que conquista o coração e que são totalmente importantes para o desenrolar.

Penso no que ele disse antes, como as escolhas que fazemos podem não ser as escolhas que desejamos, mas ainda assim são escolhas. (pág. 211)

sombria e solitária maldição


Sombria e Solitária Maldição pode assustar logo de cara quando visualizamos um calhamaço de 500 páginas, mas devo dizer que a escrita da autora e os capítulos curtos compensam muito! Li essa obra em três dias, pois eu não conseguia sair do universo de Emberfall. Só queria descobrir o que aconteceria no capítulo seguinte e se essa maldição seria realmente quebrada.

Este livro é o primeiro livro da trilogia Cursebreakers e com um final arrebatador, o próximo livro da série promete algo cheio de aventura e descobertas. 

Devo dizer que esse foi meu primeiro contato com a autora e estou realmente apaixonada por sua escrita viciante, envolvente e intensa. Esse livro me conquistou de uma forma que não consigo encontrar uma palavra para descrevê-lo. Apenas leiam!

Mais quotes:


O verdadeiro amor requer sacrifício. A disposição de pôr a vida de outra pessoa acima da sua. (pág. 479)
Acho que a gente recebe cartas e as joga, mas depois recebe mais cartas. Não acho que tudo esteja predestinado desde o início. Ao longo do caminho, você poderia ter feito uma escolha diferente e tudo isso poderia ter sido diferente. O fracasso não é absoluto. Só porque você não pôde salvar todo mundo não significa que não salvou ninguém. (pág. 489) 


sombria e solitária maldição

Título original: A curse so dark and lonely
Editora: Plataforma21
Escritora: Brigid Kemmerer
Páginas: 504
Lançamento: 2020
Gênero: fantasia / jovem adulto

Sinopse: O reino de Emberfall está sob ameaça. Amaldiçoado por uma poderosa feiticeira, o príncipe Rhen foi condenado a repetir seu aniversário de dezoito anos por sucessivos outonos. E, com a chegada desta estação, ele se transforma num monstro que destrói tudo e todos que cruzam seu caminho. A maldição só será quebrada se uma garota se apaixonar por ele.
A vida de Harper nunca foi fácil. A garota nasceu com uma restrição de movimento causada por uma paralisia cerebral. O pai da jovem abandonou a família há muito tempo, e sua mãe está morrendo. Além disso, seu irmão assumiu as dívidas do pai e está envolvido com gente barra-pesada. Porém, um dia, ela tenta salvar uma desconhecida nas ruas de Washington DC e é atraída para um reino encantado.
Harper não sabe onde está ou em que acreditar. Um príncipe? Uma maldição? Um monstro? Mas, quanto mais ela convive com Rhen nessa terra amaldiçoada, mais ela compreende o que está em jogo. Ao mesmo tempo, o príncipe percebe que Harper não é só mais uma garota – ela é sua única esperança. Entretanto, forças poderosas se erguem contra Emberfall e será necessário mais do que uma maldição quebrada para salvar Harper, Rhen e seu povo da ruína total.



11 comentários

  1. Olá, tudo bem? Não é o meu estilo de leitura, mas fiquei bem curiosa para ler, principalmente por se tratar de uma releitura de A Bela e a Fera. Adorei a resenha e as fotos!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu não conhecia o livro nem a autora, mas demorei para perceber que a história era uma releitura da Bela e a Fera. A animação da Disney não é a minha favorita, mas não dá tirar a sua importância e grandeza.
    Eu gosto bastante de fantasia, mas ultimamente estou dando um tempo para o gênero e também não sou a maior fã de releituras de contos de fadas, então passarei a dica.
    A sua resenha está ótima. Só queria dar uma dica: a letra do começo do seu texto (o primeiro parágrafo, acima da primeira foto) e dos dados do livro está um pouco pequena, deixando a leitura um pouco difícil de ser feita.
    Abraços.

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/05/resenha-kindred-lacos-de-sangue.html

    ResponderExcluir
  3. Se eu tivesse lido só "releitura de A Bela e a Fera" eu já ia querer ler... Mas eu li a sua resenha completa a agora estou naquele momento EU PRECISO!!!! Rs...
    Adoro livros de fantasia e já estava a procura de algo novo para ler. Foi o momento perfeito!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Eu li esse livro recentemente e simplesmente amei. Estou doida pela continuação, e espero que a Plataforma 21 lance o mais rápido possível. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nossa vc falou tão bem dele que fiquei curisosa, se eu tiver a oportunidade de ler com certeza eu darei a oportunidade, porém por agora não!! O que me deixou curiosa tbm foi vc ter comentado que lembraria A Bela e Fera e tipo dos contos das Disney é dos meus favoritos.
    Beijos
    https://quemevcbrubs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Li dois livros da autora, mas que eram YA e adorei muito. Não sou muito de ler fantasia, mas como eu adorei a escrita da autora, jpa quero ler esse também!!

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Adoro ler um livro quando a autora descreve os lugares e a gente se sente visualizando tudo ao redor como se estivéssemos no mesmo ambiente, isso é fascinante, através da sua resenha deu para perceber que é um livro perfeito com os personagens bem desenvolvidos, fiquei curiosa, já tinha lido uma resenha desse livro, mas cada vez que leio outra a vontade é muita de ler, não vai ter jeito vou passar-la na frente kkk. Parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá

    Como falei na resenha que li mais cedo sobre esse livro: ele é bonito visualmente, mas o enredo não me agrada em nada. É mais romance de "um casal contra o mundo" do que fantasia. É mais romance puramente dito do que lutas e afins típico da fantasia.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Parece ser uma leitura incrível, por ser uma releitura de "A bela e a fera", já deixa muitos leitores curiosos. É uma excelente dica. E mesmo sendo um calhamaço, se a leitura nos conquista, se torna fluída e lemos rapidinho.

    ResponderExcluir
  10. Olá!!!
    Sim dar pra perceber a releitura só pela contagem do enredo da história e como o mesmo se constrói, mas juro que me surpreendeu a autora tentar trazer uma "Bela" com paralisia é algo novo e interessante dentro da história.
    Adorei de verdade e já vou anotar a dica.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?
    Adoro releituras de A bela e a fera e não sabia sobre essa. Mesmo não sendo a maior fã de fantasia, fiquei bem curiosa para conferir como a autora conduziu a trama, que foi tão bem escrita para você. Anotei a dica e espero ler em breve ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir