sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Resenha: Neve na Primavera, de Sarah Jio

É primavera em Seatle, porém, está nevando. Isso só aconteceu uma única vez em 1933 e agora, em 2010, tornou-se a repetir. Seria apenas um acaso ou uma estória que precisa ser revivida para ter um fim?

Sarah Jio
Seatle, 1933. Vera Ray saiu para trabalhar e deixou seu pequeno filho, Daniel, em casa. Infelizmente ela não poderia leva-lo, já que fez isso algumas vezes e isso acabaria em demissão. Porém, o emprego de camareira em período noturno é o único que irá sustentar o seu filho.

No dia 2 de maio, uma grande nevasca começa a cair na cidade. Algo realmente incomum já que é primavera. Vera faz o possível para chegar logo e encontrar seu filho, porém ela tem uma enorme surpresa ao chegar em casa: a cama está vazia; não há ninguém em sua casa e tudo que ela encontra é o ursinho de Daniel jogado no meio da névoa.

"Todos nós nos comportamos de forma distinta diante do trauma e da agonia. Algumas pessoas agem impulsivamente; outras se reprimem - contendo a dor e guardando-a bem no fundo, deixando-a se formar e inflamar." (pág. 35)

Leia também: O Bangalô, de Sarah Jio

Seatle, 2010. Claire Aldrige é uma excelente repórter e está em busca de novas matérias. É dois de maio e está novamente nevando, algo totalmente incomum para a época. Seu chefe diz que é excelente fazer uma matéria sobre essa névoa, porém, como escrever apenas sobre algo que pode durar apenas um dia?

É quando Claire depara com uma matéria onde, 77 anos atrás, também houve uma tempestade de neve na primavera. Agora ela está designada em escrever essa história e saber se há uma ligação entre essa névoa, ela e Vera Ray.


💭


"As coisas mais difíceis sempre se transformam nas mais recompensadoras." (pág. 123)

Quando comecei a leitura de Neve na Primavera, preciso confessar que não estava me agradando tanto quanto eu esperava. Estava achando uma estória bem OK e nada mais. Porém, em determinado ponto da leitura, Sarah Jio me deixou completamente envolvida e surpresa com os acontecimentos e é isso que eu adoro na escrita da autora!

É perceptível que há uma ligação entre Vera e Claire, não é mesmo? Mas qual seria essa ligação? E é onde a autora soube descrever e fazer um excelente mistério até revelar a verdade por trás de toda a estória. É no meio de neve, frio, conflitos, intrigas, medo, tristeza que tudo é desenvolvido e ganha uma forma esplendida. É no presente, mesmo depois de tantos anos, que a verdadeira estória é revelada. E o melhor de tudo é que você acaba se envolvendo com os personagens já que cada capítulo é narrado em um ponto de vista, o que deixa tudo ainda mais encantador.

"A verdadeira amizade é quando alguém pode apreciar a sua felicidade, até celebrar sua felicidade, mesmo quando ele mesmo não está feliz." (pág. 165)

Leia também: A Última Camélia, de Sarah Jio


O que mais gosto em livros narrados entre presente e passado é isso: o envolvimento com os personagens. E com uma escrita como a da Sarah, não têm erro! É de se apegar, de imaginar, de desvendar, de conhecer e até mesmo de sofrer. É um livro que fala sobre amor e perdão e sobre as conexões que transcendem os limites do tempo. Então ainda têm dúvidas que precisa ler este livro?

Um outro ponto positivo deste livro foram as personagens principais. Essa autora consegue escrever perfeitamente uma personagem guerreira, que não se abala tão facilmente e ainda luta por tudo aquilo que ela ama e acredita. Vera lutou para reencontrar seu filho e Claire lutou contra todos para ter a sua verdadeira história publicada. Tem como não ficar fascinada? Personagens assim são cativantes demais!

"Eu o amava profundamente, mas será que meu amor seria suficiente para fazê-lo feliz sem... a vida privilegiada à qual estava acostumado?" (pág. 234)

Apesar de demorar um pouco para me envolver com o enredo, tenho a ressalva de um ponto que não gostei do livro: o porquê tudo aconteceu. Apesar de resolver todo o mistério do passado, ainda senti que não havia um porquê. Tudo aconteceu, foi esclarecido anos depois, mas por que Daniel sumiu? O que levou os personagens agirem daquela forma e o mistério ter sido encerrado anos atrás e nem ao menos insistiram nas investigações? Isso realmente me deixou um pouco triste em não descobrir. Mas, exceto isso, é um excelente enredo.

Neve na Primavera vai te fazer refletir sobre algumas questões; vai te deixar completamente curioso com o desvendar desse mistério; em determinado momento vai te partir o coração e em outro vai aquiescer. Um livro com muitas emoções e muitas lições também. É aquele livro que precisa ser lido, precisa ser sentido!


"Os segredos têm dessas: sempre encontram seu caminho. Mesmo que leve uma vida toda." (pág. 302)

Descubra o que a neve mudou na vida dessas duas mulheres e deixe o livro mudar a sua vida.

Avaliação: 4/5 ❤
*Adicione no Skoob | Compre na Amazon

Título original: Blackberry Winter
Escritora: Sarah Jio
Editora: Novo Conceito
Ano de publicação: 2015
Páginas: 336
Gênero: Drama / ficção / romance

SINOPSE
Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho.
   Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.
   Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.
   Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,
   Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

6 comentários:

  1. Olha, por tudo que ele tem, ue fiquei interessada na história
    passado e presente se entrelaçando sempre ganha meu coração
    é interessante, né?? <3
    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  2. Olá! Não conhecia a autora ou o livro e fiquei encantada logo de cara com a premissa! Eu sou a louca dos suspenses, e só de imaginar esse mistério, onde o bebê sumiu e essa neve que nunca acontecia, me deixou muito curiosa! Todos os seus elogios me convenceram a ler! Obrigada pela dica!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  3. Essa é uma obra que ainda não li justamente por esses motivos, comecei e simplesmente não me senti nada atraída, o mais estranho é que com a sua resenha eu fiquei super curiosa e agora quero entender a ligaçao entre os personagens e o mistério como um toco, acho que vou acabar retomando.

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu não li nada dessa autora, mais estou super curiosa para ler esse livro, gosto de ler livros intercalado o passado e o presente e esse livro tem tudo para me agradar dica anotada

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nada da autora, mas gostei de conferir sua opinião. E com certeza fiquei curiosa, apesar de receios sobre o ponto que te desagradou. Não gosto qnd pinos ficam sem explicações. Enfim valeu pela dica. E parabéns pela leitura. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Fabiana.

    Eu não dei muita bola para este livro porque achava que tinha um romance bem morninho e na época do lançamento dele acabei deixando de lado. Lendo sua opinião, eu fiquei com vontade de dar uma chance para ele. fiquei curiosa para descobrir as surpresas que a história tem para mostrar. Obrigada pela dica, ela foi anotada.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir