sexta-feira, 24 de novembro de 2017

[Resenha] Estamos bem

Um livro com uma capa maravilhosa; uma premissa completamente interessante; super aclamado por muitos. E aí eu não poderia perder a oportunidade de ler logo e saber se ele iria atender todas as minhas expectativas.

"É o sentido do livro. Podemos procurar a verdade, podemos nos convencer do que quisermos, mas nunca vamos realente saber." (pág. 29)

Em “estamos bem” nós vamos conhecer Marin. Ela deixou tudo que tinha para trás: seu avô, sua melhor amiga – Mabel –, o verão, a Califórnia e tudo se transformou em fantasmas do seu passado. Mais um fantasma na sua vida.

Marin partiu sem avisar ninguém, nem mesmo Mabel sabia do motivo da sua partida. Mesmo após meses de tentativa para tentar se reaproximar, Marin continuou relutando para estabelecer novamente essa conexão. Ela não saberia explicar o porquê que ela tomou essa atitude precipitada.


"Termine cada dia e o deixe para trás. Você fez o que podia. Algumas falhas e absurdos sem dúvidas aconteceram; esqueça-os assim que puder." (pág. 41)

Após tantas tentativas, finalmente Marin cedeu e deixou que Mabel se aproximasse novamente. Quando ela a visita em Nova York, as coisas ficam constrangedoras no começo, mas logo elas percebem o quanto tempo perderam juntas e o quanto uma sentia falta da outra.

Seria Mabel capaz de ajudar Marin com a sua profunda solidão?

"Tudo é desespero. Tudo é sofrimento. O que quero dizer é que você não deveria ser uma pessoa que procura a dor. A vida já tem o suficiente disso." (pág. 88)


“A vida é fina e frágil como papel. Qualquer mudança repentina pode rasgá-la." (pág. 93)

Ah, quantas expectativas eu coloquei nesse livro e ele, infelizmente, não atendeu todas como eu esperava. Como eu disse no começo dessa resenha, o livro têm uma premissa completamente interessante e maravilhosa. Ele tinha tudo para ser um dos melhores livros, mas a autora não soube explorar tudo devidamente.

É perceptível o sofrimento de Marin por conta do seu passado e suas descobertas. É possível perceber também que o amor que ela sente por Mabel vai além da amizade e ela se sente arrependida pelas atitudes que tomou. Porém, é possível entender o porque Marin agiu dessa forma (mesmo eu não aceitando essa atitude). Acho que quando uma “bomba” como a qual ela descobriu estoura, tudo que queremos é encontrar um refúgio, seja ele aonde for.


“Éramos inocentes o bastante para achar que nossas vidas eram o que achávamos que eram, que se juntássemos todos os fatos sobre nós eles formariam uma imagem que faria sentido, que se pareceria conosco quando olhávamos no espelho, que parecia nossas salas, nossas cozinhas e as pessoas que nos criaram, em vez de revelar todas as coisas que não sabíamos." (pág. 125)

Um ponto que gostei desse livro (assim como gosto em vários) foi a narrativa intercalada entre o presente e o passado da personagem. Isso faz com que a gente viva a leitura de um modo diferente e mais intensamente, e até mesmo com alguns questionamentos e dúvidas ao decorrer de cada página. Nina têm uma narrativa leve, simples e que realmente prende, porém se ela tivesse explorado sua escrita ainda mais, se aprofundado mais, o livro, com toda certeza, teria levado meu coração.

Então é isso. Não leia esse livro com tanta expectativa. Leia para passar o tempo, mas não espere uma torrente de lágrimas porque isso, infelizmente, não irá acontecer.


“Quantas vezes você tem a oportunidade de fazer uma coisa de novo e certo?" (pág. 194)




Avaliação: ❤❤❤



Título original: We are okay
Escritora: Nina LaCour
Editora: Plataforma 21
Ano de publicação: 2017
Páginas: 224
Gênero: Ficção / jovem adulto / LGTB / GLS / literatura estrangeira
SINOPSE | SKOOB
"Marin deixou tudo para trás. A casa de seu avô, o sol da Califórnia, o corpo de Mabel e o último verão agora são fantasmas que ela não quer revisitar. O retrato de uma história em que já não se reconhece mais. Ninguém nunca soube o motivo de sua partida. Nada se sabe sobre a verdade devastadora que destruiu sua vida.
   Agora, ela vive em um alojamento vazio e está sozinha no inverno de Nova York. Marin está à espera da visita de sua melhor amiga e do inevitável confronto com o passado. As palavras que nunca foram ditas finalmente se farão presentes para tirá-la das profundezas de sua solidão."

6 comentários:

  1. Eu gostei bastante da sinopse. Pena não ter sido tudo aquilo que vc esperava. : /
    A resenha está ótima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Infelizmente eu coloquei expectativa demais no livro e ele não atendeu todas. :(

      Beijos.

      Excluir
  2. Olá!
    Achei a capa desse livro maravilhosa ♥
    Vou lê-lo quando tiver saindo de uma leitura mais pesada. Gosto de livros mais leves, e dos quais eu não crie tanta expectativa.
    Beijos!

    Books & Impressions
    Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro tinha tudo para ter uma leitura comovente, de partir o coração e tudo mais. Mas, infelizmente, a autora não soube como aprofundar nessa história. Coloquei muita expectativa e não atendeu todas. :( Mas espero que você leia e goste!

      Beijos.

      Excluir
  3. Ahhh as malditas expectativas hehehehhehe sei bem como é. De fato a trama parece interessante, mas vou alinhas aqui as expectativas que é melhor. E adorei os quotes e fotos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente :( a gente sempre coloca tanta expectativa em um livro e às vezes isso acontece. A história é boa, tinha tudo para ser maravilhosa, mas deixou um pouquinho a desejar. Espero que você curta!

      E obrigada. Tem quotes lindos mesmo!

      Beijos.

      Excluir