sábado, 19 de agosto de 2017

[Resenha] O Garoto que Tinha Asas

Escritora: Raiza Varella
Editora: Pandorga
Páginas: 408
 SKOOB

SINOPSE: "Depois do conto de fadas protagonizado por Bárbara e Ian em O Garoto dos Olhos Azuis chegou a hora de conhecermos a história de outro casal encantado. Augusto Bittencourt, vulgo Monstro, é um renomado médico, dono de uma carreira sólida e do hábito de dispensar uma mulher atrás da outra sem piedade. Nunca se apaixonou e não acredita que um dia irá encontrar uma mulher interessante o suficiente para mudar esse fato. Mas o destino parecia pensar diferente, em uma madrugada fria ele presencia um terrível acidente de carro e conhece a garota sem nome. Uma garota que há muito tempo não sabe o que é ter um lar, se sentir segura e não precisar fugir de ninguém até que, em meio aos destroços, ela vê alguém correr em sua direção, um garoto que ela poderia jurar ter asas. Embora Augusto esteja muito longe de se parecer com um anjo, ele acaba por salvar a sua vida. Pela primeira vez, o médico de pouco humor e muito caráter terá que enfrentar e ir contra todos os seus princípios para cumprir uma promessa que não deveria ter feito e de quebra, quem sabe, se apaixonar. Em O Garoto que tinha Asas vamos descobrir se o príncipe encantado realmente vem montado em um cavalo branco ou se sua cor é o que menos importa em meio a uma singela releitura de A Bela e a Fera."

"O garoto que tinha asas" é o segundo livro da trilogia Encantados, sendo o primeiro "o garoto dos olhos azuis" contado no ponto de vista de Barbara, irmã de Augusto. (Se quiser conferir a minha resenha do primeiro livro, clique aqui).

Já nesse livro somos apresentados para a história de Augusto, mais conhecido como Monstro. Ele é um médico e não se compromete com nenhuma mulher: para ele é apenas um caso. Não há sentimento, não há nada. Augusto quer apenas se divertir e aproveitar a sua vida de solteiro.


💬 "Ela precisava de alguém que a protegesse e ele de alguém que o ensinasse a amar." (p. 29)

Um certo dia, durante à noite, Augusto encontra uma mulher correndo para o carro e percebe o olhar de desespero nela. Quando percebe, ela está sendo perseguida. Sem pensar duas vezes, Augusto vai atrás para salvá-la. Quando ele chega, encontra o carro dela fora da pista e batido. Ela está quase perdendo os sentidos.

Ligando para a emergência e ajudando com o que é possível, Augusto tenta ajudar aquela moça que ele não conhece e tudo que ela consegue lhe dizer é para que cuide de sua vida. Augusto realmente estava tentando fazer isso, mas ele percebe que a vida dela está no banco de trás. A vida dela é um garotinho.


💬 "O amor faz isso com as pessoas, faz com que elas ajam de uma maneira que não agiriam normalmente, faz elas desafiarem o impossível." (p. 68)

Ainda sem pensar, Augusto permanece com o garoto enquanto ela está no hospital em coma. Mesmo com a implicância de seu amigo e de sua família por conta dessa atitude, Augusto permanece com ele, aliás, ela pediu para que cuidasse. Mas o que está acontecendo com Augusto? Ele nunca fez nada que as mulheres lhe pedissem, porque agora ele está mantendo essa promessa? E por quê ela estava sendo perseguida? Dúvidas irão fazer parte da vida de Augusto.



Sabe aquele livro que te faz rir, suspirar, chorar, ficar agoniada e desejar logo o final para saber como essa história vai terminar, mas não deseja que o livro termine? Então, foi assim que me senti em relação à esse livro. Uma montanha-russa de emoções.

💬 "Ele tinha asas grandes o suficientes para me esconderem, para salvarem a minha vida e isso bastou para que eu ao menos conseguisse respirar novamente." (p. 429)

Assim como o primeiro livro, Raiza descreve perfeitamente todos os acontecimentos e mantem o suspense até os últimos capítulos. É perceptível nesse livro também o amadurecimento de Augusto. Quem diria que o Monstro se tornaria uma pessoa que pensa em outras pessoas e não apenas em si mesmo? Aliás, quem diria que Monstro tem um coração?

"O garoto que tinha asas" foi tão maravilhoso quanto o primeiro livro. Nele somos apresentados ao ponto de vista da Garota Sem Nome e de Augusto. Estou cada dia mais apaixonada por essa trilogia e pela escrita de Raiza. Algumas descobertas são feitas nesse livro o que tornou a minha ansiedade ainda maior para ler o último livro que é "o garoto que abandonei". Há muitas emoções ainda por vir!

💬 "Inexplicavelmente eu quis conhecer cada uma das cicatrizes que ela tinha por dentro e quis consertar cada uma delas." (p. 2802)

Na sinopse apresenta esse livro como uma "releitura" de A Bela e a Fera. Em partes até é, mas é uma Bela e a Fera mais moderna, digamos assim. É possível perceber as barreiras que foram quebradas após esse envolvimento de Augusto com a garota Sem Nome. É de uma forma lenta que tudo irá se resolvendo e mudando, assim como quando Bela consegue quebrar as barreiras invisíveis para a Fera.

Se eu indico esse livro? Indico muito. Se você gosta daquele romance complicado, suspense, risadas, lágrimas tudo em um só livro, então leia a trilogia Encantados. Você pode se surpreender, assim como eu fui surpreendida.


MAIS QUOTES

💬 "Eu sempre quis amor e para mim felicidade é encontrar alguém que o devolva." (p. 3444)

💬 "Esse homem de gelo me ensinou que às vezes, no meio do nada, quando menos esperamos, topamos com alguém que tem a chave para desvendar o segredo e fazer a sensação de falta de segurança ceder." (p. 4592)

💬 "A vida real era dura, sólida e egoísta. Eu já deveria saber disso àquela altura." (p. 5963)

💬 "Engraçado como algo que te machuca a vida toda se anula quando você conhece a felicidade, daquelas de verdade que tem o poder de colorir seu mundo com um único sorriso torto." (p. 6768)

Avaliação: ❤❤❤❤❤

Nenhum comentário:

Postar um comentário