Resenha | Território Lovecraft, de Matt Ruff

by - março 30, 2020

Território Lovecraft” foi publicado em janeiro pelo clube de assinatura da Intrínseca, os Intrínsecos, e vai contar uma história narrada em 1954 e todo o terror de uma América segregada.


Matt Ruff
Foto: PS Amo Leitura


Atticus Turner é um jovem, de 22 anos, que após receber uma carta de seu pai, vai embarcar em uma jornada para esse reencontro. O problema é que o Estados Unidos passa por uma época de segregação racial e isso acaba dificultando em sua jornada.

Ao chegar em Chigado, Atticus se encontra com Letitia e George e eles vão embarcar nessa jornada junto com ele. O que Atticus não esperava era que seu pai havia desaparecido. Juntos, vão em busca de respostas.

O problema que essa busca por respostas, muitas coisas estranhas começam a aparecer. Todas essas descobertas é apenas um começo para os inúmeros questionamentos e coisas que irão acontecer a seguir.


Matt Ruff
Foto: PS Amo Leitura


Afinal, quem era Lovecraft?

Quando recebi esse livro da editora, me questionei sobre o que ou quem seria Lovecraft, pois confesso que até o momento eu não conhecia o termo. Em uma pesquisa rápida no Google, me deparei com a seguinte explicação: Howard Phillips Lovecraft, mais conhecido por H. P. Lovecraft, foi um escritor estadunidense que revolucionou o gênero de terror, atribuindo-lhe elementos fantásticos típicos dos gêneros de fantasia e ficção científica.”

Dito isso e lido a revistinha que acompanha na caixinha Intrínsecos, percebi que o autor Matt Ruff se inspirou em seus debates para criar essa obra, onde aborda sobre a segregação nos Estados Unidos, em 1954, mas o que me faz questionar: já se passaram tantos anos, mas por que o racismo ainda prevalece em nossa sociedade?


Histórias são como pessoas. Nós até podemos amá-las, mas não podemos alegar que são perfeitas. Sempre tentamos enaltecer suas virtudes e relevar seus defeitos, mas isso não faz os defeitos desaparecerem. (pág. 18)

Isso é um dos pontos que questionamos ao longo de “território Lovecraft” e que faz questionar se aquilo mesmo que estamos lendo é uma história real ou apenas uma ficção, afinal, é impossível não comparar essas duas dimensões.

Matt Ruff
Foto: PS Amo Leitura

Apesar do contexto, o livro não me conquistou.

Ok, nas primeiras páginas de “território Lovecraft” eu confesso que estava curiosa pelo o que viria. O livro aborda questões como racismo e como isso era completamente predominante no passado (e até mesmo nos dias de hoje).

O problema é que o livro começa a ficar confuso em certo ponto. Como ele é narrado em 8 contos e se conectam ao longo do enredo, achei que ele fluiria de uma forma diferente, mas não sei dizer se foi a escrita de Matt Ruff, a forma como ele apresentou esses contos ou o gênero da obra, mas não consegui me conectar aos personagens e nem ao enredo.


É a vida. A vida não é justa. (pág. 207)

Muitas vezes senti vontade de abandonar o livro porque a leitura não estava me conquistando, assim como em outros momentos eu não conseguia entender o que estava realmente acontecendo. Uma pena, pois pelo tema abordado, acredito que tinha tudo para ser um grande exemplar.

Matt Ruff
Foto: PS Amo Leitura

De qualquer forma, para quem gosta de livros com contos, gosta de gêneros de terror e ficção, e também sobre o assunto abordado, aventure-se por “território Lovecraft”. Não foi um livro que me conquistou, mas talvez pode conquistar você.


⚠️ Previsão de lançamentos em livrarias no dia 07/04/2020.

adicione no skoob: território lovecraft



Título original: Lovecraft Country
Escritor: Matt Ruff
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Lançamento: 2020
Gênero: terror / ficção

SINOPSE
Nos Estados Unidos segregados da década de 1950, Atticus é um rapaz negro, veterano da Guerra da Coreia, fã de H. P. Lovecraft e outros escritores de pulp fiction. Ao descobrir que o pai desapareceu, ele volta à cidade natal para, com o tio e a amiga, partir em uma missão de resgate. Na viagem até a mansão do herdeiro da propriedade que mantinha um dos ancestrais de Atticus escravizado, o grupo enfrentará sociedades secretas, rituais sanguinolentos e o preconceito de todos os dias.
Ao chegar, Atticus encontra seu pai acorrentado, mantido prisioneiro por uma confraria secreta, que orquestra um ritual cujo personagem principal é o próprio Atticus. A única esperança de salvação do jovem, no entanto, pode ser a semente de sua destruição — e de toda a sua família.
E esta é apenas a primeira parada de uma jornada impressionante. Estruturado ao mesmo tempo como uma coletânea de contos e um romance, Território Lovecraft apresenta, além de personagens memoráveis, elementos sobrenaturais, como casas assombradas e portais para outras realidades, objetos enfeitiçados e livros mágicos.


You May Also Like

7 Comments

  1. Quando se fala em Lovecraft eu meio que já penso em Minecraft sabe? hahahahaha enfim.. Ligo as coisas.
    Não gosto de livros confusos, sou disléxica e acabo nem entendo, por isso passo longe. A trama não me conquistou também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro momento, também imaginei que seria isso, mas o livro aborda um contexto muito importante. Uma pena que, para mim, não tenha funcionado :/

      Excluir
  2. Lovecraft é aquela coisa que acredito que todos saibam: pode não agradar qualquer um. Tenho muita vontade de ler, mas vai que não é lá as coisas que tanta gente diz. Esse livro em questão não me chamou atenção e olha que eu gosto de ler coisas confusas e ficar pirado haha. Em relação ao Intrínsecos, ainda não me cativou. A única vez que eu quis experimentar foi quando teve o lançamento da C. J. Tudor, depois passou. Vão ter livros que não vão valer a pena no fim. (@yelloobow/@lunetaliteraria)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito que a caixinha da Intrínsecos vale a pena. É aquela história de sair da zona de conforto e ter uma leitura diferente, sabe? De qualquer forma, o contexto me agradou, mas
      o desenrolar da história não, mas pode agradar outras pessoas.

      Excluir
  3. Oi!
    Gosto muito do gênero ficção/terror, mas infelizmente da Lovecraft não li nenhum, já ouvi falar muitas coisas relacionadas, tem pessoas que amam e tem aquelas que odeiam talvez minha indecisão vem daí, mas vou colocar na minha lista de leitura quem sabe mais a frente dou uma chance. Obrigado pela dica, parabéns pela sua sinceridade e sua resenha, bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito que é questão de gosto mesmo, sabe? O livro pode agradar uns, mas não agradar outros. Espero que você dê uma chance a obra e que ela te conquiste de alguma forma.

      Excluir
  4. Olá!!!
    Eu tenho uma certa curiosidade em ler Lovecraft, mas nos últimos tempos eu tenho visto muitas pessoas inspirando suas obras no autor.
    Porém, essa é a primeira vez que vejo o livro e apesar do tema importante que o mesmo aborda fiquei com um pé atrás por não ter lhe agradado.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir