Resenha | O ar que ele respira (Elementos #1), de Brittainy C. Cherry

O ar que ele respira”, primeiro livro da série Elementos, publicado pela Record e escrito pela Brittainy C. Cherry, foi uma leitura que me causou diversas emoções durante cada capítulo.


Brittainy C. Cherry
Foto: PS Amo Leitura



Muita gente sempre elogiou essa obra e eu sempre tive curiosidade em ler. Quando vi o projeto #umfevereiroparaBrittainyCCherry que os igs @larliterario, @omeninoquele, @preconceitoliterario e @aacervoliterario criaram, decidi que era hora de me aventurar e descobrir o porquê esse livro ganha inúmeros corações.


Nele nós vamos conhecer dois personagens que estão completamente feridos.


Você não precisa estar bem o tempo todo. É normal sentir a dor de vez em quando. É normal se sentir perdida, como se estivesse andando no escuro. São os dias ruins que tornam os bons ainda melhores.


De um lado temos Elizatbeth que está tentando seguir em frente após perder seu marido em um trágico acidente. Durante um ano ela convive com sua mãe, mas não é fácil perceber o quanto ela está mudada desde que seu pai faleceu. Para ela, isso chega a ser insuportável e é quando ela decide voltar para o seu antigo lar junto com a sua filha, Emma.


Quando retorna para Meadows Creek, tudo está diferente. Já se passou um ano desde que ficou viúva e as coisas não são mais como eram antes. Até mesmo seu vizinho que ela imaginou que nunca sairia daquela propriedade, se mudou. Agora, na casa ao lado, mora Tristan, um homem com aparência completamente fechada.

Os pequenos momentos de felicidade compensam a dor, e os cacos do coração podem ser colados novamente. Quer dizer, sempre fica uma cicatriz ou outra, e, às vezes, as memórias do passado te queimam por dentro, mas são uma lembrança de que você sobreviveu. É esse fogo que nos faz renascer.


Tristan também está passando por momentos difíceis de superar. Ele é completamente solitário, tem um olhar vago e uma aparência triste. Ninguém sabe o que aconteceu em sua vida para deixá-lo daquela forma e como ele não tem o costume de abrir seu coração, fica mais difícil de compreendê-lo.


Todos na região acham que ele é um homem que não presta e que Elizabeth precisa tomar cuidado com esse vizinho. Mas quando eles se conhecem e começam a conviver juntos, ela descobrirá todas as suas dores e angústias e entenderá que por trás de toda aparência arrogante, existe um homem partido, mas com um coração enorme.




Seria o momento para um novo começo na vida dos dois?


Brittainy C. Cherry
Foto: PS Amo Leitura

“O ar que ele respira” foi um livro que me causou diversas reações ao longo dos capítulos.



Em muitos momentos eu estava completamente irritada com Tristan e a sua forma arrogante. Por mais que no começo não é revelado o que o personagem está enfrentando, nós conseguimos saber que há uma dor por trás de tudo aquilo, porém, confesso que não curto quando o personagem acaba “descontando” sua dor em outras pessoas que só estão tentando ser simpáticas ou afastando-as.

A única coisa que importa para o amor é a batida do seu coração. Se você o ama, não deixe isso te atrapalhar. Apenas se permita sentir novamente.


No começo, quando Tristan e Elizabeth começam a se envolver, confesso que achei aquilo bem estranho. Não gostei de como começou acontecer. Acho que nesse ponto, a autora poderia ter explorado de uma forma diferente. É como eu já disse: compreensível todo fardo que cada um estava carregando, mas eu não acho que iniciou de uma maneira correta.

De qualquer forma, quando Tristan decide finalmente mostrar o seu verdadeiro eu para Elizabeth, naquele momento eu achei fofo. Ele é uma pessoa que tem muito amor dentro do coração e tem um gesto muito lindo com relação à Emma. Então nesses momentos eu ficava completamente feliz em saber como tudo estava caminhando de uma forma linda.

- Quando é que a vida vai parar de nos machucar?- Quando a gente aprender a dizer foda-se e passar a se concentrar nas pequenas coisas que nos fazem sorrir.



Brittainy C. Cherry soube criar personagens secundários incríveis!



Faye, melhor amiga de Elizabeth, é uma personagem completamente divertida e única. Ela usa as melhores frases e deixa os momentos mais engraçados (e até mesmo constrangedores). É aquela pessoa que eu adoraria ter como amiga.

A magia está nos pequenos momentos. Nos pequenos gestos, nos sorrisos gentis e nas risadas silenciosas. A magia é viver todos os dias e se permitir respirar e ser feliz. Meu querido, a magia é amar.


Emma, a filha de Elizabeth, é aquela criança de 5 anos mais fofa e apaixonante do mundo! O que me cativou na pequena Emma foi como ela lida com a perda do pai de uma forma diferente e cria esperança de que ele irá encontrá-las onde quer que elas estejam, e mandará plumas brancas. Sério, essa é a parte mais emocionante da história! Queria explorá-la mais, mas acho que todo mundo deve ler e partilhar dessas emoções.


Temos, também, Tanner que vai se revelando ao longo da trama. Não vou dizer que não esperava que ele fosse a pessoa na qual ele se revelou, pois o leitor vai construindo uma imagem sobre ele que é possível ligar os pontos e compreender suas atitudes.

Quando você ama alguém, não faz de tudo pra magoá-lo. Quando você ama de verdade, quer a felicidade da pessoa, muito mais do que a sua própria.


Para finalizar, devo dizer que a escrita da autora continua ótima!


Já havia lido o livro Vergonha (que, por sinal, recomendo) da autora e já esperava o que encontraria por aqui. Ela consegue prender a atenção do leitor, envolvê-lo na história e deixar completamente conectado e ansiando pelo o que virá.


Apesar dos pontos citados que me incomodaram um pouco na leitura, devo dizer que “o ar que ele respira” foi uma leitura muito boa e envolvente. Recomendo para todos aqueles que gostam de drama, romance e com uma pitadinha bem moderada de cenas hots.


adicione no skoob: o ar que ele respira

Título original: The air he breathes
Escritora: Brittainy C. Cherry
Editora: Record
Páginas: 308
Lançamento: 2016
Gênero: drama / romance

SINOPSE
Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

Resenha | O ar que ele respira (Elementos #1), de Brittainy C. Cherry Resenha | O ar que ele respira (Elementos #1), de Brittainy C. Cherry Reviewed by PS Amo Leitura on fevereiro 24, 2020 Rating: 5

4 comentários:

  1. Olá!
    Ai eu amo essa série com todo o meu coração! Meu livro favorito é o segundo!
    Que bom que recomenda Vergonha, estava realmente na dúvida se deveria ler ele ou não, hahah.

    Beijão
    Leitora Cretina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Vergonha" foi meu primeiro contato com a autora e eu gostei muuuito! Também gostei muito dessa obra, mas todos falam que os próximos livros da série são melhores e eu pretendo ler em breve.

      Excluir
  2. Oi!
    Eu adoro os livros da Brittainy, esse e Vergonha é um dos meus favoritos. Tudo o que essa mulher escreve consegue me envolver completamente. Espero que leiam outros da autora!
    Beijo

    Capítulo Treze
    Inscreva-se no canal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela tem uma escrita muito envolvente mesmo. Quero ter a chance de ler os próximos livros dela e em breve.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.